sexta-feira, 24 de outubro de 2014

NOTÍCIAS // Três boas novas de Brasília

1 - Embutidos etc e tal
Abre nesta sexta, 24, para convidados, e a partir de amanhã, para o público em geral, a primeira salumeria italiana da cidade, Piccolo Emporium. Os chefs Ville Della Penna e Luiz Beto estão à frente da nova casa, localizada em Águas Claras. Além de prateleiras repletas de embutidos, bacon, presunto, salsichas, terrinas, galantinas, patês e confits, o estabelecimento também terá seu lado restaurante. Massas, pizzas, sandúiches (o de carne assada na foto), carnes e sobremesas podem ser degustados no local ou levados para casa. Os proprietários anunciam para breve a abertura de uma franquia no Plano Piloto -- só a salumeria, sem o restaurante. Até lá, Piccolo Emporium pode ser visitado de terça a sexta, das 10h às 22h, e sábados e domingos das 9h às 22h, no Vitrini Shopping (3797-1644).
2 - Pão, linguiça e chimichuri
Desde o último dia 17, o Parrilla Madrid está montando toda quinta e sexta, das 18h às 20h, uma banquinha na porta para vender a versão argentina do pão com linguiça, chamada choripan. A diferença é o acréscimo do molho chimichuri, feito com ervas, típico das parrillas. O Choripan é vendio no restaurante da 408 Sul por R$ 10.
3 - Almoço de cinema
O Paradiso Cine Bar, na 306 Sul, passa a abrir também para almoço. São sete opções de grelhados, seis molhos e dez acompanhamentos, que o cliente pode combinar. Ou pedir um dos cinco pratos prontos, todos batizados com títulos de filmes, como é habitual na casa. Um deles é o Mamma Mia! (R$23,90), frango à Pamegiana, arroz branco e batata frita.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

NOTÍCIAS // 7º Festival de Ceviche do El Paso

O ceviche entrou no dicionário gastronômico dos brasileiros há menos de uma década. E alguns restaurantes e chefs foram responsáveis por isso. Em Brasília, o chef David Lechtig foi o pioneiro em trabalhar com ceviche e propor variações com ingredientes do país, do Cerrado e de ingredientes característicos de países latinos.

Entre 31 de outubro e 9 de novembro, o restaurante El Paso – comandado pelo chef Lechtig – faz o 7º Festival de Ceviches. Dessa vez, ele trás a receita clássica com toques de regiões como Galápagos, Amazônia, Cerrado, Patagônia, Caribe, Andes e também do nordeste do Brasil. Ingredientes como folha de jambu, dendê, jenipapo, pimenta rocoto, bilimbi  aparecem no prato nacional peruano.
São dez versões de ceviches servidos nos almoços e jantares, em duos à escolha do cliente. Todos acompanhados por Chicharron de Pescado, peixe crocante muito consumido nas carretillas de Lima e um drink de boas vindas criado pelo Chef Sebastian Parasole, do Movimento Cerrado Vivo . A bebida leva pisco, jenipapo, suco de limão e calda de açúcar mascavo .

MENU – 7º FESTIVAL DE CEVICHES

1.Ceviche do Cerrado –Tilápia do Cerrado com Crema de rocoto (pimenta típica peruana), jenipapo em almíbar (calda doce) e lascas de bilimbi  um fruto de sabor bem ácido.

2. Ceviche do Cerrado II
– Salmão com cajuzinho do cerrado e pimenta amarela.
3.Ceviche Amazônico- Pirarucu com folhas de jambu e azeite de sementes da Amazônia Peruana.

4.Ceviche de Galápagos – Camarões, polvo e robalo marinados em cebola roxa, tomate, pimentão e molho inglês. Servidos com pipoca.

5.Ceviche Nordestino – Lagosta com dendê, leite de coco, pimenta biquinho e cebola roxa.
6.Ceviche Andino (foto acima)– Truta acevichada na pedra em molho de aji amarillo e folhas de menta andina.

7.Ceviche Caribeño – Camarão cozido e marinado no suco de laranja e pimenta habanero.

8.Ceviche Día de  Muertos – Ceviche mixto marinado em leche de tigre picante com abacate e rabanete.

9.Ceviche Primavera – Salmão com flores do Cerrado .

10.Ceviche Nipo – Atum semi selado em farinha de okaki (biscoito salgado de arroz) .

7º Festival de Ceviches do El Paso Latino
El Paso Latino  404 Sul
De 31/10 a 09/11
Funcionamento: Terça a Domingo
Horário: 12h às 15h / 18h às 23h30
Reservas: (61) 3323-4618
Aceita todos os cartões

R$  48,90 ( Duo de Ceviches + 1 drink de bienvenidos + 1 chicharron de pescado)

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

NOTÍCIAS // Dylan: novo café-padaria hypster

Inspirados nos cafés australianos e com decoração bem descolada, a Dylan Cafe Bakery começou a funcionar faz quase dois meses no fim da Asa Sul. A proposta do casal Mariela Sztrum e Fabrício Campos de Brito – que se conheceram na Austrália - é que o local funcione como café e espaço cultural, onde as pessoas se encontrem para botar o papo em dia, tomar um café bem tirado e comer pães artesanais.

A estrela da casa é o pão Sourdough (massa azeda), produzido por um processo de fermentação lento e natural. É uma receita muito antiga desenvolvida há milhares de anos, possivelmente por egípcios. O pão é areado e dura sem problemas cinco a seis dias sem perder o sabor. Há sanduíches feitos com o pão especial.

Um deles é recheado com o pastrammi (presunto) é feito por um amigo holandês de forma artesanal. Aos sábados, é servido o café da manhã australiano com ovos mexidos, torrada e tomate assado (R$16,90). 
Dylan Cafe Bakery
315 Sul Bloco A Loja 15
Telefone: (61) 3363-1294


terça-feira, 21 de outubro de 2014

post it // Um dia em Monti – Roma

Daniel Bitar
Colunista de Roteiros do Gastronomix

Monti não é exatamente um segredo... A dois passos do Coliseu, poderia estar no caminho de qualquer visitante de Roma, mas é conhecido por poucos. Uma pena, pois esse cantinho da Cidade Eterna, espremido entre a Via Nazionale e a Via Cavour, é um pouco de tudo: tradicional com toques modernos; underground, porém descolado. Preparamos um pequeno guia para que você possa aproveitar o bairro desde cedo – quando os trabalhadores começam suas atividades – e segue até à noite, quando os boêmios tomam conta das ruas.
Por ser um bairro residencial, o Monti possui várias padarias, como a célebre Antico Forno ai Serpenti. Pra fugir do óbvio, porém, comece o dia com os croissants quentinhos do La Casetta (foto acima), misto de bistrô, café e guest-house que ocupa uma pequena casa, toda coberta em hera.
Não é preciso ser religioso para se impressionar com a Basílica de Santa Maria Maggiore. Em estilo barroco, essa igreja impressiona não só por ter o mais alto campanário de Roma, mas por ostentar em seu interior belos mosaicos do século V. Além disso, o Museu da Basílica, com obras de artista italianos, vale a visita.
Opções para o almoço também não faltam. O restaurante mais falado da região é o Urbana 47. Moderna na decoração e na proposta, a casa preza por alimentos orgânicos, frescos e combinações simples, sem ser triviais. A boa comida é servida a qualquer hora do dia: café da manhã, almoço, tapas às 18h e jantar a partir das 19h.
Por ser descolado, o bairro têm atraído jovens artistas e designers. As novas galerias, lojas e cafés se concentram na Via Urbana e na Via Panisperna. Cada passo nessas ruas revela uma surpresa, tais como as lojas de mobiliário e design Nora P e Atelier Monti, que contrastam com os onipresentes antiquários.
Espaços dedicados à comida e ingredientes de cozinha também se multiplicam. A Zia Rosetta, por exemplo, não é nada mais que uma portinha estreita onde se vendem panini feitos com um pão típico da Itália, o rosetta. Ali se pode tomar café da manhã, almoçar umas das deliciosas saladas, ou, em caso de preguiça, pedir de casa ou do hotel (as entregas são feitas de bicicleta). Mas o melhor mesmo é comprar um dos panini pra levar e saboreá-lo sentado nos degraus da Fontana di Piazza della Madonna dei Monti, vendo o ir e vir das pessoas.
E já que estamos em Roma, melhor fazer como os romanos e jantar numa autêntica cantina. Frequentada principalmente por gente da vizinhança, a Hosteria La Vacca M'briaca serve comida típica de Roma bem preparada e a baixos preços.
Depois do jantar, a noite continua no Libreria Caffè Bohemien. São dois ambientes em um. O primeiro, que parece uma biblioteca, é mais tranquilo, onde é possível conversar tendo uma boa garrafa de vinho como combustível. O outro, mais agitado, é disputado pela galera das artes e hipsters e, de tão lotado que costuma ficar, acaba fazendo da rua um anexo ao bar.

Antico Forno Ai Serpenti
Via dei Serpenti, 122-123

La Casetta
Via della Madonna dei Monti, 62

Basilica de Santa Maria Maggiore
Piazza di Santa Maria Maggiore, Via Liberina, 27

Urbana 47
Via Urbana, 54

Nora P
Via Panisperna, 220/221

Atelier Monti
Via Panisperna, 42

Zia Rosetta
Via Urbana, 54

Hosteria La Vacca M'briaca
Via Urbana, 29/30

Libreria Caffè Bohemien
Via degli Zingari, 36

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

EU RECOMENDO // A bela bossa de Cartagena

Alex Melo(*)
Convidado especial do Gastronomix

“Recomendo, em Cartagena das Índias, dois restaurantes que gostei muito: o La Vitrola Bistrô, e outro chamado La Cevicheria. Os dois restaurantes ficam dentro da Cidade Amuralhada, no centro histórico de Cartagena, que foi onde ficamos hospedados. A melhor opção, pois fizemos tudo a pé.
No La Vitrola, embora sua decoração remeta a tempos antigos, com traços e elementos da antigüidade de Cartagena, como um piano antigo e uma vitrola acima dele logo na entrada, ele é bem sofisticado. O menu é bastante variado, com os pratos principais na média de 50.000 pesos colombianos.
Minha escolha foi um filé de peixe robalo com tempero indiano apimentado (mesmo!), acompanhado de um arroz com coco e passas tradicional da Colômbia. Uma delícia! Perfeito com um vinho branco gelado!

Adorei o atendimento. Todos muito simpáticos e atenciosos. Vale a pena conhecer esse restaurante porque ele trás muito da história da cidade no ambiente e cardápio.
O La Cevicheria é mais simples, com um estilo mais tradicional. Recomendo para os amantes de ceviche. No cardápio, diversos tipos de ceviches (pescado, polvo, camarões,..). Optei pelo ceviche de pescado. Acompanhado de grãos de milho, guacamole e salada. Bem servido para uma pessoa. Vale realmente a pena conhecer, visto que essa é a especialidade deles.

La Vitrola Bistrô
Calle del Baloco, 33-01
 Centro- Cartagena
Telefone: +57 (53) 660-0711

La Cevicheria
Calle Stuart 7
Centro – Cartagena
lacevicheriacartagena.com/en/

(*) Alex Melo é analista de sistemas na empresa IBM. 

domingo, 19 de outubro de 2014

NOTÍCIAS // Não peça croustade pensando que é crustáceo

Para quem gosta de fazer turismo gastronômico no exterior ou de descobrir novas receitas em publicações estrangeiras, cai como uma luva o livro "Vocabulário Prático de Culinária Internacional" (Martins Fontes, 160 páginas, R$ 31,90), de Dr. Fritz Kerndter.

A situação não é impossível nem mesmo para quem domina razoavelmente a língua do país: durante uma viagem internacional, você abre o cardápio de um restaurante e não consegue fazer nem ideia do que se trata um ou outro prato. Afinal, alguns nomes de ingredientes e de procedimentos culinários não fazem parte do linguajar cotidiano.

O livrinho é pequeno mas de grande utilidade. Reúne vocábulos em seis línguas -- português, inglês, francês, italiano, espanhol, alemão. E a procura pode ser feita a partir de qualquer um deles. Há também nomes de pratos nas línguas estrangeiras devidamente descritos em bom português. Um pé na roda para o gourmet curioso.

Em tempo, esclarecendo o título deste post: croustade, em francês, é "uma torta de massa folha ou massa podre, com uma grande variedade de recheios, na maioria salgados".

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

NOTICIAS // 12 eventos gourmets para os próximos dias

O Gastronomix elaborou uma lista com 12 eventos gastronômicos marcados para ocorrer entre outubro e novembro em várias partes do país. Um deles pode estar perto de você:
17 de outubro
Jantar harmonizado no Rubaiyat, em Brasília
Em parceria com a Winebrands, o restaurante promove jantar harmonizado. Cardápio criado pelo chef espanhol Carlos Valentí e vinhos selecionados pelo sommelier Marcelo Vilhena. R$ 150 por pessoa. Informações: (61) 3443-5000.


17 a 19 de outubro
5º Festival de Gastronomia Orgânica, em São Paulo
No Parque da Água Branca, o evento reúne feira de produtos orgânicos, com cerca de 40 expositores, e feira gastronômica com foco em alimentação orgânica e saudável.
21 a 23 de outubro
3º Inova Gastronomia Paraibana, em João Pessoa
Cerca de 40 chefs participam de oficinas, palestras, aulas-shows, painéis e degustações. Entre eles, Wanderson Medeiros, Laurent Suaudeau, Thomas Troisgros, Cesar Santos e Mônica Rangel.


21 a 26 de outubro

Festival Les Pantagruels, em BúziosPromovido pelo hotel Les Relais La Borie, reunirá nove chefs para criarem banquetes harmonizados com Moet & Chandon, a partir de R$ 250. Dos nove convidados, cinco vêm da França. Eles, Marc Meurin, duas estrelas no Michelin com seu Le Meurin.

25 de outubro

3º Concurso Paranaense de Cerveja Feita em Casa, em Curitiba
A Associação dos Cervejeiros Artesanais Paranaenses (ACervA-PR) promove grande festa, aberta ao público, para a premiação dos 23 vencedores do concurso. Ingressos a R$ 90,00 (associados) e R$ 130,00 (não associados). www.acervapr.com.br

Até 26 de outubro

Oktoberfest, em Blumenau
A tradicional festa catarinense ocorre no Parque Vila Germânica, no Bairro da Velha. Variedade de cervejas, comidas típicas alemãs, feira de artigos do Sul do país e shows musicais integram a programação.  Às segundas e no último dia, a entrada é grátis. Nos demais, R$ 10 (domingos e de terça a quintas) e R$ 25,00 (sexta e sábado).
1 a 16 de novembroFolia Gastronômica, em Paraty
Trinta e três restaurantes e cafés da cidade vão vender pratos com receitas da cozinha caiçara (da costa Atlântica do Sul/Sudeste). Na Praça da Matriz, haverá oficinas com chefs convidados, como Roberta Sudbrack, Alex Atala e Mônica Rangel.

3 a 5 de novembro
11ª Semana da Mesa, em São Paulo
O festival organizado pela revista Prazeres da Mesa terá participação de Neka Menna Barreto, Agenor Maia, Janaína Rueda, Onildo Rocha, Lui Veronese e Manu Buffara são alguns dos chefs participantes. 
6, 7 e 8 de novembro
4º Brasília Wine House, em Brasília
Homenageada desta edição, a chef Mara Alcamim criou um cardápio especial com cinco entradas, quatro pratos principais e uma sobremesa que poderão ser degustados com rótulos das vinícolas participantes. O evento acontecerá no Shopping Iguatemi.


8 de novembro

SlowMovie, em São Paulo
O festival ocupa o Parque Burle Marx (Vila Andrade), com shows de Tiê e Bixiga70 e exibição do filme Pequena Miss Sunshine, tudo gratuito e ao ar livre. A parte gastronômica fica por conta das food bikes (a versão light dos food trucks?). Vão marcar presença Padaria Alegria, Bike Café, The Travelling Family (bar), Bolo Cherrie e Made in Natural.

16 de novembro

Chefs nos Eixos, em Brasília
Com curadoria e organização de Cristiane Mardine, a feira gastronômica vai reunir mais de 60 chefs da cidade, oferecendo pratos a preços módicos. Chris promete trazer uma proposta diferente de eventos similares. O Chef nos Eixos será no Eixão, na altura da 208 Sul.

21 a 23 de novembro

2º Brasil à la Carte, em Curitiba
O evento tem uma programação ampla, que vai de aulas-shows com grandes chefs a feira de produtos gastronômicos e artigos de cozinha, apresentações musicais e uma área para food trucks.
http://www.brasilalacarte.com.br/