terça-feira, 21 de outubro de 2014

post it // Um dia em Monti – Roma

Daniel Bitar
Colunista de Roteiros do Gastronomix

Monti não é exatamente um segredo... A dois passos do Coliseu, poderia estar no caminho de qualquer visitante de Roma, mas é conhecido por poucos. Uma pena, pois esse cantinho da Cidade Eterna, espremido entre a Via Nazionale e a Via Cavour, é um pouco de tudo: tradicional com toques modernos; underground, porém descolado. Preparamos um pequeno guia para que você possa aproveitar o bairro desde cedo – quando os trabalhadores começam suas atividades – e segue até à noite, quando os boêmios tomam conta das ruas.
Por ser um bairro residencial, o Monti possui várias padarias, como a célebre Antico Forno ai Serpenti. Pra fugir do óbvio, porém, comece o dia com os croissants quentinhos do La Casetta (foto acima), misto de bistrô, café e guest-house que ocupa uma pequena casa, toda coberta em hera.
Não é preciso ser religioso para se impressionar com a Basílica de Santa Maria Maggiore. Em estilo barroco, essa igreja impressiona não só por ter o mais alto campanário de Roma, mas por ostentar em seu interior belos mosaicos do século V. Além disso, o Museu da Basílica, com obras de artista italianos, vale a visita.
Opções para o almoço também não faltam. O restaurante mais falado da região é o Urbana 47. Moderna na decoração e na proposta, a casa preza por alimentos orgânicos, frescos e combinações simples, sem ser triviais. A boa comida é servida a qualquer hora do dia: café da manhã, almoço, tapas às 18h e jantar a partir das 19h.
Por ser descolado, o bairro têm atraído jovens artistas e designers. As novas galerias, lojas e cafés se concentram na Via Urbana e na Via Panisperna. Cada passo nessas ruas revela uma surpresa, tais como as lojas de mobiliário e design Nora P e Atelier Monti, que contrastam com os onipresentes antiquários.
Espaços dedicados à comida e ingredientes de cozinha também se multiplicam. A Zia Rosetta, por exemplo, não é nada mais que uma portinha estreita onde se vendem panini feitos com um pão típico da Itália, o rosetta. Ali se pode tomar café da manhã, almoçar umas das deliciosas saladas, ou, em caso de preguiça, pedir de casa ou do hotel (as entregas são feitas de bicicleta). Mas o melhor mesmo é comprar um dos panini pra levar e saboreá-lo sentado nos degraus da Fontana di Piazza della Madonna dei Monti, vendo o ir e vir das pessoas.
E já que estamos em Roma, melhor fazer como os romanos e jantar numa autêntica cantina. Frequentada principalmente por gente da vizinhança, a Hosteria La Vacca M'briaca serve comida típica de Roma bem preparada e a baixos preços.
Depois do jantar, a noite continua no Libreria Caffè Bohemien. São dois ambientes em um. O primeiro, que parece uma biblioteca, é mais tranquilo, onde é possível conversar tendo uma boa garrafa de vinho como combustível. O outro, mais agitado, é disputado pela galera das artes e hipsters e, de tão lotado que costuma ficar, acaba fazendo da rua um anexo ao bar.

Antico Forno Ai Serpenti
Via dei Serpenti, 122-123

La Casetta
Via della Madonna dei Monti, 62

Basilica de Santa Maria Maggiore
Piazza di Santa Maria Maggiore, Via Liberina, 27

Urbana 47
Via Urbana, 54

Nora P
Via Panisperna, 220/221

Atelier Monti
Via Panisperna, 42

Zia Rosetta
Via Urbana, 54

Hosteria La Vacca M'briaca
Via Urbana, 29/30

Libreria Caffè Bohemien
Via degli Zingari, 36

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

EU RECOMENDO // A bela bossa de Cartagena

Alex Melo(*)
Convidado especial do Gastronomix

“Recomendo, em Cartagena das Índias, dois restaurantes que gostei muito: o La Vitrola Bistrô, e outro chamado La Cevicheria. Os dois restaurantes ficam dentro da Cidade Amuralhada, no centro histórico de Cartagena, que foi onde ficamos hospedados. A melhor opção, pois fizemos tudo a pé.
No La Vitrola, embora sua decoração remeta a tempos antigos, com traços e elementos da antigüidade de Cartagena, como um piano antigo e uma vitrola acima dele logo na entrada, ele é bem sofisticado. O menu é bastante variado, com os pratos principais na média de 50.000 pesos colombianos.
Minha escolha foi um filé de peixe robalo com tempero indiano apimentado (mesmo!), acompanhado de um arroz com coco e passas tradicional da Colômbia. Uma delícia! Perfeito com um vinho branco gelado!

Adorei o atendimento. Todos muito simpáticos e atenciosos. Vale a pena conhecer esse restaurante porque ele trás muito da história da cidade no ambiente e cardápio.
O La Cevicheria é mais simples, com um estilo mais tradicional. Recomendo para os amantes de ceviche. No cardápio, diversos tipos de ceviches (pescado, polvo, camarões,..). Optei pelo ceviche de pescado. Acompanhado de grãos de milho, guacamole e salada. Bem servido para uma pessoa. Vale realmente a pena conhecer, visto que essa é a especialidade deles.

La Vitrola Bistrô
Calle del Baloco, 33-01
 Centro- Cartagena
Telefone: +57 (53) 660-0711

La Cevicheria
Calle Stuart 7
Centro – Cartagena
lacevicheriacartagena.com/en/

(*) Alex Melo é analista de sistemas na empresa IBM. 

domingo, 19 de outubro de 2014

NOTÍCIAS // Não peça croustade pensando que é crustáceo

Para quem gosta de fazer turismo gastronômico no exterior ou de descobrir novas receitas em publicações estrangeiras, cai como uma luva o livro "Vocabulário Prático de Culinária Internacional" (Martins Fontes, 160 páginas, R$ 31,90), de Dr. Fritz Kerndter.

A situação não é impossível nem mesmo para quem domina razoavelmente a língua do país: durante uma viagem internacional, você abre o cardápio de um restaurante e não consegue fazer nem ideia do que se trata um ou outro prato. Afinal, alguns nomes de ingredientes e de procedimentos culinários não fazem parte do linguajar cotidiano.

O livrinho é pequeno mas de grande utilidade. Reúne vocábulos em seis línguas -- português, inglês, francês, italiano, espanhol, alemão. E a procura pode ser feita a partir de qualquer um deles. Há também nomes de pratos nas línguas estrangeiras devidamente descritos em bom português. Um pé na roda para o gourmet curioso.

Em tempo, esclarecendo o título deste post: croustade, em francês, é "uma torta de massa folha ou massa podre, com uma grande variedade de recheios, na maioria salgados".

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

NOTICIAS // 12 eventos gourmets para os próximos dias

O Gastronomix elaborou uma lista com 12 eventos gastronômicos marcados para ocorrer entre outubro e novembro em várias partes do país. Um deles pode estar perto de você:
17 de outubro
Jantar harmonizado no Rubaiyat, em Brasília
Em parceria com a Winebrands, o restaurante promove jantar harmonizado. Cardápio criado pelo chef espanhol Carlos Valentí e vinhos selecionados pelo sommelier Marcelo Vilhena. R$ 150 por pessoa. Informações: (61) 3443-5000.


17 a 19 de outubro
5º Festival de Gastronomia Orgânica, em São Paulo
No Parque da Água Branca, o evento reúne feira de produtos orgânicos, com cerca de 40 expositores, e feira gastronômica com foco em alimentação orgânica e saudável.
21 a 23 de outubro
3º Inova Gastronomia Paraibana, em João Pessoa
Cerca de 40 chefs participam de oficinas, palestras, aulas-shows, painéis e degustações. Entre eles, Wanderson Medeiros, Laurent Suaudeau, Thomas Troisgros, Cesar Santos e Mônica Rangel.


21 a 26 de outubro

Festival Les Pantagruels, em BúziosPromovido pelo hotel Les Relais La Borie, reunirá nove chefs para criarem banquetes harmonizados com Moet & Chandon, a partir de R$ 250. Dos nove convidados, cinco vêm da França. Eles, Marc Meurin, duas estrelas no Michelin com seu Le Meurin.

25 de outubro

3º Concurso Paranaense de Cerveja Feita em Casa, em Curitiba
A Associação dos Cervejeiros Artesanais Paranaenses (ACervA-PR) promove grande festa, aberta ao público, para a premiação dos 23 vencedores do concurso. Ingressos a R$ 90,00 (associados) e R$ 130,00 (não associados). www.acervapr.com.br

Até 26 de outubro

Oktoberfest, em Blumenau
A tradicional festa catarinense ocorre no Parque Vila Germânica, no Bairro da Velha. Variedade de cervejas, comidas típicas alemãs, feira de artigos do Sul do país e shows musicais integram a programação.  Às segundas e no último dia, a entrada é grátis. Nos demais, R$ 10 (domingos e de terça a quintas) e R$ 25,00 (sexta e sábado).
1 a 16 de novembroFolia Gastronômica, em Paraty
Trinta e três restaurantes e cafés da cidade vão vender pratos com receitas da cozinha caiçara (da costa Atlântica do Sul/Sudeste). Na Praça da Matriz, haverá oficinas com chefs convidados, como Roberta Sudbrack, Alex Atala e Mônica Rangel.

3 a 5 de novembro
11ª Semana da Mesa, em São Paulo
O festival organizado pela revista Prazeres da Mesa terá participação de Neka Menna Barreto, Agenor Maia, Janaína Rueda, Onildo Rocha, Lui Veronese e Manu Buffara são alguns dos chefs participantes. 
6, 7 e 8 de novembro
4º Brasília Wine House, em Brasília
Homenageada desta edição, a chef Mara Alcamim criou um cardápio especial com cinco entradas, quatro pratos principais e uma sobremesa que poderão ser degustados com rótulos das vinícolas participantes. O evento acontecerá no Shopping Iguatemi.


8 de novembro

SlowMovie, em São Paulo
O festival ocupa o Parque Burle Marx (Vila Andrade), com shows de Tiê e Bixiga70 e exibição do filme Pequena Miss Sunshine, tudo gratuito e ao ar livre. A parte gastronômica fica por conta das food bikes (a versão light dos food trucks?). Vão marcar presença Padaria Alegria, Bike Café, The Travelling Family (bar), Bolo Cherrie e Made in Natural.

16 de novembro

Chefs nos Eixos, em Brasília
Com curadoria e organização de Cristiane Mardine, a feira gastronômica vai reunir mais de 60 chefs da cidade, oferecendo pratos a preços módicos. Chris promete trazer uma proposta diferente de eventos similares. O Chef nos Eixos será no Eixão, na altura da 208 Sul.

21 a 23 de novembro

2º Brasil à la Carte, em Curitiba
O evento tem uma programação ampla, que vai de aulas-shows com grandes chefs a feira de produtos gastronômicos e artigos de cozinha, apresentações musicais e uma área para food trucks.
http://www.brasilalacarte.com.br/

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

NOTÍCIAS // A hora e a vez das food bikes

O bike bar The Travelling Family, em São Paulo
Rosualdo Rodrigues
Colunista de Música e Gastronomia do Gastronomix 


Depois dos food trucks, vêm aí as food bikes. O SlowMovie, evento marcado para 8 de novembro no Parque Burle Marx (Vila Andrade), em São Paulo, terá espaço para bicicletas que vendem café, drinques, pães e bolos.

Trata-se de nada mais que uma adaptação do tradicional comércio ambulante com um toque de glamour, mais cool, descolado e tal. Assim como fizeram com os carrinhos de comida de rua.
O Bike Coffee, em Conpenhague,(Suiça)
A ideia nem é tão nova. Em setembro de 2011, a revista americana QSR, especializada em negócios de alimentação, já apontava as food bikes como "the hottest new trend", e destacava a ideia por ser mais barata e ambientalmente correta.
Taco bike, em San Francisco (EUA)
Mas basta uma pesquisa mais apurada no Google Imagens para a gente ver que mesmo em São Paulo, porta de entrada de várias modas no país, o segmento é incipiente. Não existe por aqui ainda bikes tão transadas quanto as que encontramos em sites estrangeiros.
O Veggie Velo, de comida vegetariana, em Adelaide (Austrália)
De qualquer forma, o caminho está aberto para quem tiver espírito empreendedor e imaginação. Com as feiras gastronômicas cada vez mais frequentes, não faltará mercado para comidinhas gostosas, bem feitas e a preço camarada.
Food bike em Londres (Inglaterra)
Em tempo: para o SlowMovie, estão anunciados o Bike Café (cafés, doces e pães de queijo); The Travelling Family (bebidinhas e drinques) Bolo Cherrie (bolinhos individuais); Made in Natural (snacks naturais e orgânicos) e Bela do Dia (arranjos de flores).

30ml // Entre o doce e o café fique com os dois

Sandro Biondo
Colunista de Café do Gastronomix

Poucas coisas são tão jubilantes para uma alma (e digo alma porque é relação além do físico) viciada em cafeína, quanto encontrar um novo lugar para satisfazer seus desejos. No caso, encontrei, caros amigos de Brasília. Fica escondidinho nos fundos da comercial da 115 Norte e atende pelo nome de Charlotte Café.

Aberto esse ano, o Charlotte trabalha com grão de produção própria, o que é um privilégio que pouquíssimos cafés se dão ao luxo de oferecer. Quando o grão é bom, então, nem se fala.

Trata-se de um  100% Arabica da região do cerrado mineiro. A marca é a Moulaz Cafés Especiais, uma paixão da família, que cuida diretamente de todas as etapas da produção, do cultivo à embalagem. O bom Moulaz é extraído numa máquina Sofia semiautomática, o que ajuda a ajustar temperatura, umidade e outras variáveis que incidem sobre a qualidade da bebida sempre fresca.
O espresso, claro, é o carro chefe da casa, servido por R$ 4. Mas, gordo de alma que sou, não recomendo a visita sem provar algum dos doces de produção própria que o Charlotte serve batendo no peito, de tanto orgulho. O bolo cocada, que é quase um pudim, de tão cremoso, já que não leva trigo na receita, é dádiva divina.

Mas surpresa mesmo é pedir o bolo de cenoura pensando que a cobertura de chocolate está restrita àquela fina camada de manteiga escura que você encontra na padoca da esquina. Não babe no computador: o bolo é quase um petit gateau de cenoura. O chocolate? Está no  recheio, na cobertura generosa e numa jarrinha extra(!) que vem à mesa. Entra fácil na retrospectiva dos melhores momentos de 2014...

Mas voltando ao nosso foco, o café passa com honras pelo teste do espresso bem tirado. Os 30ml vêm de extração mais do que satisfatória: boa crema, bom corpo, temperatura correta e preservação de todas as características do grão. E melhor: você também pode levar o seu Moulaz para casa. O café é moído na medida para você coar, preparar na sua Bialleti ou na prensa francesa.

Único motivo de queixa é o horário de funcionamento. Não incomoda o fato de estar aberto de segunda a sábado até 21hs. Mas continua sendo tarefa difícil encontrar café de qualidade aos domingos na cidade. Quem souber onde, fineza nos avisar por aqui.
Charlotte Café
115 Norte Bloco A Loja 59
Telefone: (61) 3202-8882

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

NOTÍCIAS // Tem encontro de food trucks domingo

Brasilienses aficcionados em eventos gastronômicos de rua têm programa para o domingo, dia 19. O Shopping Conjunto Nacional organizará um encontro de food trucks na varanda voltada para o Teatro Nacional.

Chilli na Rua (comida latina), Burguer Truck (hambúrgueres especiais), Arroz Carreteiro, Corina (cervejas especiais), Bistruck (cozinha típica brasileira), Quitanda Fácil (sucos naturais), Komboleria (bolos artesanais), Tapioca da Xica e Churros do Tio participam do encontro, que começa às 14h, com comidinhas a preços entre R$ 5 e R$ 20.