quinta-feira, 28 de maio de 2015

NOTÍCIAS // Feira Brasil Sabor acontece 30 e 31 de maio




A Feira Gastronômica Brasil Sabor será realizada nos dias 30 e 31 de maio no Parque da Cidade com cerca de 40 restaurantes de Brasília oferecendo pratos a preços acessíveis com pratos por R$ 10, R$ 15 e R$ 20. A segunda edição do evento  - realizado pela Abrasel DF - acontecerá das 11h às 20h entre os estacionamentos 9 e 10 do Parque da Cidade, próximo à Praça das Fontes.
Além disso, os presentes vão poder conhecer e comprar ingredientes típicos do Cerrado diretamente com pequenos produtores, visitar estandes com livros de gastronomia e ainda apreciar bebidas geladas vendidas nos bares do evento.

A programação da Feira vai contar também com aulas show gratuitas com renomados chefs de Brasília, que vão ensinar receitas que trazem insumos regionais. No sábado, os cursos vão começar às 11h com a apresentação do chef e professor da Kaza Chique Rodrigo Almeida. Ele vai ensinar o preparo do Picadinho de chambaril e torre de tutano com nhoque crocante de mandioca, castanha de Licuri e compota de maracujá pérola do cerrado.
Das 14h às 15h, será a vez da chef e professora do Iesb Barbára Frazão ministrar o curso sobre o Tradicional Arroz Maria Isabel típico da região Centro Oeste. Logo em seguida a chef Ana Toscano, do restaurante Vila Borghese, vai dar a aula com o tema "Especial Itália".

No domingo, a chef e professora da Kaza Chique Gabriela Andrade vai ensinar como fazer o "Baião de Dois Uai", receita tradicional de baião com quadradinhos dourados de queijo coalho e pimenta biquinho. A aula vai das 11h às 12h. Das 14h às 15h o chef Claude Capdeville, do restaurante Toca do Chopp, vai ensinar como preparar Petisco de Boteco. Finalizando as Aulas Show, a chef e professora do Iesb Ana Carolina Gregório vai ensinar o preparo do Curau e pipoca ao caramelo de baru.
Uma das novidades da Feira este ano é a presença do renomado chef pernambucano César Santos, do restaurante Oficina do Sabor, em Olinda/PE, ele foi o único profissional de fora do DF a ser convidado para fazer parte do evento e trará além de sua gastronomia, uma seleção de livros da coleção Aromas e Sabores da Boa Lembrança que serão vendidos por apenas R$20.

Confira a lista de todos os restaurantes participantes da Feira Gastronômica Brasil Sabor:

1. 4Doze Bistrô
2. Ancho Bistrô de Fogo
3. Baco Pizzaria
4. Balcony 412
5. Bar Godofredo
6. Beirute/Mesclattino
7. Bier Haus
8. BSB Grill
9. Carpe Diem
10. Confeitaria Francesa
11. Crepe Royale
12. CRU Balcão Criativo
13. Due Trattoria e Bruschetteria
14. Empório Árabe Restaurante
15. Forneria Parole
16. Gordeixo's
17. Ilê Restaurante
18. Johnnie Special Burger
19. Kaza Chique
20. Le Jardin Du Golf
21. Kojima
22. Marvin American Burgers
23. Mayer Self Service
24. Noz Panquecas Gourmet
25. Oficina do Sabor (Olinda-Pernambuco)
26. Olivae Restaurante
27. Oliver
28. Parrilla Madrid
29. Piacere Restaurante
30. Primeiro Bar
31. Quitanda Fácil
32. Sanfelice officina di pasta
33. Ticiana Werner Restaurante e Empório
34. Toca do Chopp
35. Trattoria da Rosário
36. Universal Diner
37. Valentina Pizzaria
38. Villa Borghese
39. Villa Tevere

FEIRA GASTRONÔMICA BRASIL SABOR
Data: 30 e 31 de maio
Horário: das 11h às 20h
Local: Parque da Cidade, entre os estacionamentos 9 e 10, próximo à Praça das Fontes
Entrada franca
Pratos a R$ 10, R$ 15 e R$ 20
www.abraseldf.com.br 

quarta-feira, 27 de maio de 2015

ME BATA UM ABACATE // O que teria acontecido a Cris Charlote?

Sérgio Maggio
Cronista do Gastronomix

Havia alguma coisa errada com a história de amor de Benito e Cândida. Tudo parecia perfeito se não fosse um detalhe.  A moça descolada não queria que ele conhecesse a família. Logo ele, um cara que acredita piamente naquela máxima, “família é a base de tudo”.  Ela se irritava quando vinha dele a cobrança para um jantar. “Isso é coisa de novela das nove”, replicava. Noveleiro confesso, Benito se ofendia: “O que você tem contra os folhetins?”

A situação beirava o desgaste quando Cândida perdeu a paciência e resolveu ceder à pressão do namorado. Afinal, Benito era um pedaço de homem. Daqueles que, quando tirava a camisa, o povo se abanava e dizia “Ah, me bata um abacate!”. Para não perder esse “homem-vitamina”, Cândida marcou o encontro para o próximo domingo. “Na hora do almoço?”, vibrou Benito. “Melhor não, vamos ao cair da noite”, rebateu Cândida.

Benito era um coração aos pulos de tanta ansiedade.  Subiu os 25 andares de elevador como quem entrasse na igreja, sob a marcha nupcial e com as mãos encharcadas de suor. A porta do 2502 estava entreaberta. Ele bateu palmas, buzinou, disse alô e nada. Resolveu então entrar e se deparou com uma sala de estar deslumbrante.  Obras de arte de diversas correntes estéticas, do barroco ao contemporâneo, convivendo com peças sacras e esculturas geométricas. Ao fundo, uma varanda que revelava toda a pujança da megalópole. Enquanto admirava a paisagem, descobria que Cândida é filha de uma família riquíssima. Caminhou até esse espaço e, quando contemplava cada vão daquela vista, um som estridente invadiu o local.

Era um cão, ou melhor uma miniatura de cão, de latido finíssimo e continuado.  Estridente, histérico e descontrolado, o animal avançava sobre o tornozelo com dentes similares a de uma piranha esfomeada. Num ímpeto, Benito movimentou bruscamente a perna e, como num lance de futebol, o bicho voou pela sacada que nem uma bola em direção ao gol. Em questão de segundos, aquela desagradável criatura sumiu aos olhos. Podia-se ouvir uma batida do corpo estatelando-se ao chão quando uma doce voz interrompeu. “Então, você é o famoso Benito. Seja bem-vindo!”

A mãe de Cândida estava só. Logo, atrás vieram o pai e a filha. Todos, elegantíssimos. Ainda atordoado. Benito alegou estar nervoso porque entrou sem permissão. Os anfitriões trataram lodo de deixar o rapaz a vontade. “Cândida, minha filha, procure a Cris Charlote. Estranho, ela não estar aqui”, disse a mãe. De pronto, Benito se mostrou surpreso. “Não sabia que você tinha uma irmã!”. Todos riram. “É como se fosse. Cris Charlote é nossa cria canina. Está conosco há uma década. É uma cadela premiada internacionalmente. Ganhou vários desfiles na sua categoria. É adestrada e constantemente faz figurações em filmes, novelas e seriados”, contou o futuro sogro.
Benito perdeu a cor rosa das bochechas. Nervoso, simulou um mal estar. Todos se desconcertaram. “Desculpem-me, tomei uma vitamina de abacate antes de chegar aqui.”
A essa altura, o sumiço de Cris Charlote era um acontecimento. Benito escapuliu dizendo que precisava repousar. Meia hora depois, estava enterrando o corpo de Cris Charlote no jardim ao lado da Catedral. Uma década depois, o desaparecimento da cachorrinha é um mistério que atormenta a família. Os pais de Cândida vivem a se perguntar: “O que teria acontecido a Cris Charlote?”. Para aliviarem a solidão, convidaram a filha e o futuro genro para dividirem aquele monumental apartamento com eles.

Hoje, casados, Benito e Cândida vivem um mar de rosas, têm três filhos e nenhum animal de estimação. De vez em quando, para aliviar o segredo mortal, Benito visita o túmulo de Cris Charlote, coloca flores e saí dali para a primeira lanchonete, onde toma uma vitamina de abacate em intenção à alma da falecida.  

terça-feira, 26 de maio de 2015

post it // 5 razões para visitar Washington

Daniel Bitar
Colunista de Roteiros do Gastronomix

A essa altura do mês de maio, muita gente já terminou de assistir à terceira temporada de House of Cards. E um maníaco por séries que se preze deve estar se sentindo meio órfão, pois sabe que a próxima temporada (se houver!) só estreará em fevereiro de 2016!!! Maneiras de aliviar a ausência da série são várias: assistir a todos os episódios novamente; ver todos os filmes estrelados pelo Kevin Spacey; descobrir que a Robin Wright atuou em muitos filmes que você nem imagina... Mas a melhor forma de diminuir a dor é visitar Washington e se sentir parte do programa. Mas se você nem é tão fã de House of Cards assim, fique tranquilo. Washington tem muito mais a oferecer. Veja abaixo:

1. A CAPITAL DO PODER
O homem mais poderoso do mundo vive ali. Mas esse fato não seria tão relevante para o visitante se a Casa Branca e os demais centros relacionados ao poder norte-americano – como o Capitólio e a Suprema Corte – não fossem, por si só, pontos turísticos. E o melhor: estão a uma pequena caminhada de distância um do outro. 
Casa Branca
Capitólio
Suprema Corte

2. MUSEU, MUSEU, MUSEU 
Para quem gosta de museus, o parque National Mall é o destino. Ali se enfileiram museus para todos os gostos, desde a Galeria Nacional de Arte até o Museu Nacional de História Natural, passando pelo Museu do Ar e do Espaço, Museu do Índio Americano, Instituto Smithsonian, dentre outros.
Museu de História Natural
Museu do Ar e do Espaço

3. O JAPÃO É AQUI
Em 1912, o prefeito de Tóquio presenteou a cidade de Washington com 3000 cerejeiras com objetivo de fortalecer as relações entre os dois países. Desde então, na primavera, a capital se transforma com os tons de branco e rosa da floração das cerejeiras, assim como acontece no Japão.

 4. MANGIA QUE TE FA BENE
No quesito comida, Washington era sinônimo de stakehouses para políticos e lobistas. Nos últimos anos, no entanto, a cidade vem perdendo a má reputação e começa a aparecer nas listas de melhores destinos gastronômicos dos Estados Unidos. Rose's Luxury, o melhor restaurante da América segundo a lista de 2104 da revista Bon Appétit, fica ali. O descolado e multi-premiado Minibar também é patrimônio da capital. Sempre lotado, o Blue Duck Tavern serve comida americana de qualidade. E, para quem gosta de comida de rua, o Eastern Market ostenta uma enorme quantidade de barracas de comida e é considerado um dos melhores lugares para se comer em Washington.

5. A CIDADE ALÉM DOS MONUMENTOS  
Washington não se define apenas por seus museus e por seus monumentos em mármore. Há muito mais a descobrir, como Georgetown – o charmoso bairro universitário; o rio Potomac, excelente para uma caminhada relaxante o uma volta de bicicleta; o descolado distrito Shaw; Pertworth, onde é possível tomar uma cerveja artesanal com um bando de hispters; Capitol Hill, para encontrar uma pechincha vintage no Flea Market dominical; U Street Corridor, melhor lugar para se acabar numa balada...

segunda-feira, 25 de maio de 2015

EU RECOMENDO // Pequenos, artesanais e sem pretensões

Gabriel Matteuzzi (*)
Convidado especial do Gastronomix

Quando me foi pedido para escrever indicando dois restaurantes onde eu gostava de ir achei inicialmente complicado, pois não tenho saído muito para comer fora ultimamente. O trabalho diário me força muitas vezes ficar em casa, seja pensando em futuros pratos para meu restaurante, seja para ficar descansando. Para um cozinheiro em uma cidade como São Paulo, com tantas opções para todos os gostos, as minhas sugestões sempre se guiam a lugares pequenos, onde eu posso desfrutar de uma cozinha artesanal, com produtos de primeira qualidade em um ambiente descontraído e sem pretensões, mantendo minha intimidade e saindo um pouco do perfil “balada”.
O primeiro restaurante que gostaria de indicar seria a Carlos Pizza, localizada na Rua Harmonia, 501 na Vila Madalena. Lugar aberto no mês de fevereiro e sob o comando de dois grandes professionais (Luciano Nardelli e Rodrigo Felício). Juntos conseguiram criar um ambiente descontraído, um cardápio enxuto (ideia que eu admiro e sigo, afinal muitas vezes a meu ver, menos é mais), e que respeitam a matéria prima e o serviço.

Suas pizzas, sempre individuais são delicadas e trabalhadas de forma artesanal. Sua massa é elaborada com fermentação natural, excelente matéria prima e assada ao forno a lenha. Com a quantidade justa de recheio, se respeita os produtos que as componha sem nunca mascarar a matéria prima. O salão é pequeno, se não me engano com capacidade para umas 40 pessoas, pé direito alto e acolhedor. Para mim, sempre uma ótima opção para nossa típica pizza de domingo.
Minhas sugestões de pedidos seriam de entrada a Salada de Pão com tomatinhos assados, aliche e ervas. Deliciosa e com os sabores muito bem equilibrados. A pizza? Eu me considero uma pessoa com gostos bem tradicionais e, às vezes, não me contenho e termino comendo 2 pizzas, pois sempre começo pedindo uma que tenha uma cara mais autoral e outra com sabor mais clássico. A Escarola, elaborada com queijo, limão siciliano e nozes acredito ser uma ótima opção para quem busca algo diferente e a Marinara (pizza composta de molho de tomate, alho fatiado e manjericão) é leve, saborosa e convida a comer com as mãos, algo que no caso da pizza eu adoro, essa para os paladares mais tradicionais.

Minha segunda opção será o restaurante japonês Yakitori localizado na Av. dos Carinas, 93 em Moema. Conheço esse restaurante já faz alguns anos, e sempre me chamou a atenção o fato de eu ser na grande maioria das vezes o único ocidental que estava no local. Algo que me deu confiança na época, pois se um restaurante japonês só tem clientes japoneses, ele deve ser bom ou, pelo menos, fiel aos produtos e técnicas utilizadas (eu pensei na época que o conheci) 

Sempre estou fugindo dos milhares rodízios espalhados pela cidade ou dos excelentes, porém caríssimos japoneses que todos conhecemos. A confiança se foi dada logo na primeira visita, e confirmada nas que seguiram. O restaurante, assim como diz o nome tem como especialidades os yakitoris (espetos geralmente feitos de frango e na brasa, pois como diz o nome yaki = grelhado, tori = frango).

Com bastantes opções, sempre termino indo para o que são, para mim, os clássicos: espeto de quiabo ou berinjela com katsuobushi como opção vegetariana, coxa ou coração de frango para os mais carnívoros. Os Lamens, no general, são ótimos e a parte fria (sushi/sashimi) sempre com peixe fresquíssimo e com o arroz cozido com perfeição. O ambiente, como foi mencionado acima, na maioria das vezes, é composto por empresários ou famílias japonesas.
O salão, que passou por uma reforma no começo do ano, tem capacidade maior que quando eu o conheci, porém ainda mantiveram a barra onde se pode comer e acompanhar o cozinheiro preparar os espetinhos. O serviço sempre foi atencioso, e apesar de não serem orientais, possuem o completo conhecimento do que é servido.

Bom, aí estão minhas sugestões. Espero que gostem da experiência e BOM APETITE.

Carlos Pizza
Rua Harmonia, 501
Vila Madalena – São Paulo
Telefone: (11) 3813-2017

Yakitori
Av. dos Carinas, 93
Moema – São Paulo
Telefone: (11) 5044.7809(*)Gabriel Matteuzzi  é chef- proprietário do restaurante Tetè a Tete, em Sâo Paulo. Trabalhou no restaurante D.O.M., em São Paulo, e no Michel Bras, na França. 
Tetê à Tetê
Rua Melo Alves, 216
Cerqueira César, São Paulo
Telefone: (11) 3796-0090

sexta-feira, 22 de maio de 2015

DRINK_ME // Bossa, restô estudio bar

Juliana Raimo
Colunista de Drinks do Gastronomix
São Paulo é uma cidade que não para. Abrem e fecham lugares toda vez que dobramos uma esquina. Meu olhar está sempre atento a projetos bacanas que encantam a visão o paladar e nos trazem uma experiência nova. A onda dos espaços multi funcionais cresce.

O Bossa, aberto há poucos meses na rua Lorena, em São Paulo, tem este conceito. Une um restaurante bar junto a um estúdio de música, ao lado da loja da marca Ratier (moda fem/ masc. e home decor). Em um futuro próximo, ainda terá um hostel acoplado ao conjunto. O empresário Renato Ratier (sócio fundador da D-Edge), idealizador deste projeto, alia aqui três coisas boas da vida: gastronomia, música e coquetelaria. E une tudo isso agora a moda e ao design.
A cozinha – comandada pelo chef  William Ribeiro -  dá preferência a ingredientes frescos e provenientes de pequenos produtores. A casa serve almoço jantar e servirá café da manhã em breve. O serviço – sob a atual gerência de Manu Bleier - foi impecável nos dois dias que estive por lá com atendentes simpáticos e atenciosos.

O bar conta com a expertise do mixologista Ricardo Basseto (ex Piolla ,Sonique, e Cão Véio), que buscou inspiração nos ingredientes nacionais  criando uma releitura dos drinques populares dos botecos do Brasil.

Fui convidada para provar alguns destes drinks que em comum trazem harmonia etílica, aroma e encantam o olhar.


# DRINK BOSSA (R$ 40)
Com Aquavit *, xarope de pepino, lâminas de gengibre, suco de limão e ovas de arenque. Uma mistura inusitada, equilibrada e singular. Um aperitivo delicioso para pedir com as entradinhas da casa. 

# DRINK BLACK BELT (R$ 40)
Com Tequila Patron Café, Jack Daniels e Gin Principe de los Apostoles. Um drink encorpado, masculino servido em um copo de vidro todo trabalhado. Pode ser apreciado como um digestivo por ter o toque de café em sua composição.

# DRINK GRAÚNA (R$ 30)
Cachaça Yaguara, xarope de tangerina, suco de limão cravo, talo de capim limão e bitter de alecriM. Servido em uma linda taça coupê, um drink cítrico mas suave ao mesmo tempo onde a tangerina corta a acidez do limão e o alecrim da o toque de aroma ao final. Não da para tomar só um!

E, por fim, para os “Bloody’s Lovers” não deixem de provar o delicioso Bloody Mary com “barquinho de gelo” e o delicioso o tempero “home made”.
* Aquavit
A produção da Aquavit, numa primeira fase, se dá a partir da destilação de batatas ou de cereais, obtendo-se um espírito neutro, idêntico à vodka, bastante forte. Só na segunda destilação lhe são adicionados os aromas desejados, tais como grãos de alcaravia (cominho), anis-doce (funcho), coentro, endro, cravo e canela e adquire as suas qualidades próprias. No entanto, o tipo mais consumido é a não aromatizada. Os suecos usam o termo Aquavit, mas referem-se à bebida de modo coloquial, através do termo brannvin. De aspecto transparente, é encontrada também, em menor quantidade, na cor amarela. A sua graduação alcoólica é de 40º a 50º.
BOSSA RESTAURANTE STUDIO BAR
Alameda Lorena, 2008
Jardim Paulista - São Paulo
Tel + 55 11 3064.4757
www.bossarestaurantebarestudio.com.br
De 2a a 5a das 12h a 1h. Sexta e Sábado das 12h as 2h.Domingo das 12h as 23h.

- Agradecimento: 
Bartender Ricardo Basseto

quinta-feira, 21 de maio de 2015

NOTÍCIAS // Los Baristas abre na com cafés especiais

O paladar do brasileiro está cada vez mais se diversificando e se apurando para algumas bebidas. As marcas tradicionais estão dividindo as prateleiras com outras mais artesanais e com tratamento especial. Além dos vinhos e cervejas, os cafés estão também nessa rota de exploração mais qualificada. Não à toa, pois é  uma das bebidas que mais consumidas no Brasil. E, focado nesse nicho, a dupla de baristas Vitor Ávila e Heloísa Scheschesliski resolveu apostar e abrir os Los Baristas, na 404 Norte.
A loja é focada em degustação de cafés. Os proprietários têm relações com diversos produtores locais de alguns dos estamos que produzem cafés de boa procedência em território nacional, como Minas Gerais, Paraná e Bahia. Por isso, a casa deve oferecer grãos variados na maioria das vezes que o consumidor aparecer por lá.
Vitor e Heloísa contam com a ajuda de uma outra barista, Conceição Brito, para poder atender às demandas do público que podem escolher o modo com o qual o café pode ser feito por ali. Eles têm a missão de explicar – passo a passo – como cada café é feito. E assim, difundir e informar os clientes sobre as várias possibilidades dos sabores de cafés.

Confira a tabela de preços de alguns dos cafés:
- Espresso 30ml.....................  R$ 5,00
- Espresso ristreto 20ml ........R$ 5,00
- Prensa Francesa 100ml.........R$ 6,50
- Aeropress 200ml ..................R$ 9.00
- Hario V60 100ml ..................R$ 7,00
- Chemex 400ml .......................R$12,00
Há ainda macchiatos e capuccinos (cafés com leite – R$ 8,00), bebidas cafeinadas como Mocha (R$ 11,00) e Afogatto (R$ 12,50), e drinks alcóolicos com cafés (entre R4 11,00 e R4 18,00), chocolates (entre R$ 6,50 e R$ 9,50) e chás (entre R$ 4,50 e R$ 9,00).

No cardápio de comidinhas, salgados integrais da Salgadart, tostexs (pão francês ou integral da Boulangerie) com tipos de queijos e embutidos diferentes (de R$ 6,50 a R$ 10,50). Não podem faltar também com o café um pedaço do Bolo do Dia (R$ 5,00). Há também opções de brigadeiro de colher: chocolate; chocolate com raspas de laranja, rosas libanesas e limoncello (R$ 4,50) e os sem lactose e sem açúcar (R$ 8,50).


O café fica na parte detrás da comercial, bem na esquina. Conta com boa música, bancadona de madeira, iluminação descolada, paredes em concreto e mesas com cadeiras coloridas. Para tudo ficar com essa cara, as obras começaram em fevereiro e os Los Baristas abriram em 11 de maio.

LOS BARISTAS –CASA DE CAFÉS
404 Norte bloco C loja 38
Telefone: (61) 3033-6183


quarta-feira, 20 de maio de 2015

NOTÍCIAS // Rubaiyat lança pratos família

O Rubaiyat Brasília lança novas criações em seu menu para servir famílias ou grupos de três a quatro pessoas.  A criação dos pratos foi do espanhol Carlos Valentí, chef executivo do Grupo Rubaiyat, radicado em Madri, na Espanha.

- Mixed Grill (Bife de Chorizo, Baby Pork, Frango Caipira da Fazenda Rubaiyat, linguiça de lombo, costela suína, e legumes na grelha), com arroz ou farofa - R$ 190,00

- Paella Valenciana (camarão, lula, frango e lombo suíno) - R$ 210,00
- Bacalhau ao forno com cebolas, brócolis, batata, tomate cereja confitado e azeitonas, servido com arroz com passas  -  R$ 190,00
- Carne da Fazenda Rubaiyat lentamente guisada com vinho do porto, macia e suculenta com polenta cremosa ou arroz branco - R$ 160,00

- Festival de Sobremesas (doces sortidos e frutas) -   R$ 35,00

Baby Beef Rubaiyat - Brasília
SCES – Setor de Clubes Esportivos Sul, Trecho 1, lote 1 A - Asa Sul

Telefone: (61) 3443.5000