terça-feira, 13 de julho de 2010

GASTRONOMIX // Índio que come bem


A galera que comandou o "Vaza Caetano". Saudades!

Na semana passada, me despedi do Ministério da Saúde, lugar onde trabalhei por dois felizes anos. No movimento intitulado “Vaza Caetano” (com todo carinho, segundo minha equipe), fomos celebrar a mudança de emprego no restaurante Oca da Tribo, que fica na direção da Ponte JK, em Brasília. Não foi um programa de índio. Pelo contrário. O dia podia parar por ali naquele ambiente aconchegante e relaxante.

A Oca da Tribo é um pedacinho inusitado em Brasília. Literalmente, você almoça ou janta dentro de uma oca, projetada pelo arquiteto angolano Vítor Pontes. Por todo o lado, você esbarra com objetos de decoração de origem indígena e africana. Mesas com pé de madeira e tampo pesado de pedra. Cadeiras de palhoça com forro de estamparia de zebra e onça.

Além disso, o teto e as paredes são recobertos com palha. E, quase no centro da Oca, uma espécie de lounge com cadeirinhas faz qualquer um querer ficar ali para a sesta. Realmente, o charme do ambiente torna a refeição leve.

O bufê é essencialmente de comida vegetariana. Carnívoros, não se assustem. Há opções de carne a la carte – desde as mais tradicionais como frango e picanha até as mais exóticas como as de caça (javali, avestruz e búfalo) . É claro que paga-se por elas. As carnes variam de R$ 15,00 a 30,00.

Quem optar apenas pelo bufê vegetariano paga R$ 31,90 (de terça a sexta). No sábado, passa para R$ 36,90, e no domingo, R$ 46,90. As opções são bem variadas. Folhas, verduras e legumes à vontade e em combinações interessantes como a deliciosa moqueca de banana, a suculenta lasanha de berinjela e a apetitosa paella vegetariana, feita com arroz, alho, molho de tomate, azeite, pimentão, açafrão espanhol, abobrinha, couve e cenoura.


Dependendo do dia, ainda você pode encontrar os vegetais no cuscuz, em bolinhos, com queijo e tapioca, em suflês...enfim, o que não falta é criatividade para dar sabor a comida natural. Tudo bem quentinho, temperado e fresco.

Entendo quem acha caro o bufê à base de legumes e verduras. Concordo que poderia ser um pouco mais em conta. Mas vale a pena lembrar que não é todo dia que um índio come tão bem e com tanta fartura.

Oca da Tribo
Setor de Clubes Esportivo Sul Trecho 2 Lote 54 conj 59
Brasília – DF
Telefone: (61) 3226 9880

4 comentários:

Diego disse...

Estou gostando de ver, ex-chefe: cheio de trocadilhos e vocábulos bem mais indígenas que habitués!
É isso aí: sê brasileiríssimo.

Vamos combinar mais alguma refeição mais em conta nas próximas semanas!

Que tal um Faisão Dourado?

Cheers!

Anônimo disse...

Gatããããooooo, querido! Esse e todos os nossos outros doces encontros serão inesquecíveis! A gente precisa marcar um almoço tão delicioso assim para um fim de semana de muita conversa boa pra ser jogada "fora", não acha?! Estamos sentindo muito a sua falta... principalmente dessa sua alegria e vibração que inundavam aquela assessoria-cheia-de-gente-muito-boa... Vá lá de vez em quando nos visitar?! Será (vc sabe disso) sempre de casa e muito, muito, muito bem-vindo! Beijos e fortes abraços, Renathinha.

Rodrigo Caetano disse...

Oi Dieguito e Re,
é só maracarem. Sinto saudades de vcs e do nosso clima gostoso da nossa relação. Tô na área. Bjos
Rodrigo Caetano

Anônimo disse...

Oi Rodrigo, tinha feito um comentário qdo vc postou, mas acho que do trampo bloqueia. Bom, só para reforçar que gostei muito desse dia e que poderíamos repetir a dose. Também pra deixar meu obrigado por tudo e que temos saudades!!!

Abs

Gabriel