quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

AO PÉ DO OUVIDO // Sentimento pouco é bobagem

Por Rosualdo Rodrigues

Num país onde surge uma nova-cantora a cada semana, gastamos muito tempo discutindo se aquela moça que a Folha, a Veja ou o que seja apresenta como a grande revelação do momento é mesmo a graaaaande revelação do momento. Assim, acabamos esquecendo de usufruir tesouros escondidos no fundo do baú.

Digo isso porque por estes dias andei revirando discos e me deparei com uns antigos de Nana Caymmi. Fui ouvi-los e me maravilhei como se estivesse escutando aquilo pela primeira vez. Não que não soubesse que Nana Caymmi é uma cantora fantástica (até outro dia mesmo a gravação dela e Erasmo de Não se esqueça de mim tocava em Caminho das Índias). Também não faz tempo que Nana lançou um disco, Sem poupar coração. Muito bom por sinal.

Mas aquela Nana de Mudança dos ventos e Voz e suor (dois dos melhores discos dela) me deixou extasiado.Primeiro, porque me dei conta que Nana Caymmi é, como Maria Bethânia, do time das inimitáveis. Única. Você encontra novas-cantoras que lembram Elis Regina, Gal Costa, Marisa Monte (todas essas grandes intérpretes, sem dúvida). Mas nunca confunde a voz de uma novata com a de Nana ou com a de Bethânia.

Segundo, porque faz tempo que não ouço ninguém cantar os sentimentos com tanta intensidade. Nas interpretações de Nana Caymmi, a dor é dolorida mesmo e o prazer é o paraíso. Não tem meio termo. Ela escolhe as músicas a dedo – feeling para o repertório certo é uma qualidade que muitas boas cantoras não têm – e se entrega por completo a elas sem que isso, curiosamente, soe exagerado. Quando ela canta Mudança dos ventos sou capaz de jurar que Ivan Lins é o melhor compositor do planeta. Mas (sem tirar o mérito da composição) é o jeito de cantar de Nana Caymmi que torna aquilo tão bonito quanto é.

Com Nana Caymmi é assim. Emoção pouca é bobagem. E os sentimentos intensos que ela expressa fazem falta não só na música atual, mas nas relações em geral. Acho que foi isso que me surpreendeu ao ouvi-la. Tinha esquecido que os seres humanos já foram capazes de sentir tanta paixão.

P.S. – Voz e suor é um disco de voz e piano. Só Nana e César Camargo Mariano. Uma pequena obra-prima, só recomendável para quem não tem medo de ir fundo.

Dez canções de cortar coração na voz de Nana Caymmi:
1 ) Mudança dos ventos
2 ) Contrato de separação
3 ) Não me conte
4 ) Segue teu destino
5 ) Fruto maduro
6 ) Resposta ao tempo
7 ) Se queres saber
8 ) Meu silêncio
9 ) Tens (Calmaria)
10 ) O que é que eu faço

4 comentários:

Rodrigo Caetano disse...

Oi queridao,
diretamente de Goreme, na Capadocia, para seu post...
Nana arrebenta. Quando ela abre aquele vozeirao. Na volta, pego os Cds mais antigos dela com vc para ouvir. Abs
Rodrigo Caetano

Paulo Palavra disse...

hahahaha
Rodrigo não aguenta e vem conferir se os posts estão mesmo entrando no ar!

Sarah disse...

"Batidas na porta da frente
É o tempo..."

Simplesmente a cara do Dan...rsrsrs.
BEIjão, Rosu.

Anônimo disse...

acho a nana maravilhosa, mas tambem gosto muito das cantoras novas, não acho que seja questao de ser melhor que elas. Élida