quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

DRINK_ME // Ensinando aos gringos a caipirinha!


Por Juliana Raimo

Queridos drinkeiros, depois de uma tarde de sol em São Paulo sentada num bar junto a um grande barman, Derivan, escrevo a vocês sobre uma das bebidas mais famosas e mais populares no nosso país: a boa e velha caipirinha.

Caipirinha ou caipiroska (depende do gosto de cada um por cachaça ou vodka), este é um maravilhoso drink preparado com ingredientes tradicionais que apesar de simples tem seu segredo no preparo. Uma curiosidade é falar sobre a técnica de preparo da mesma: no copo ou na coqueteleira.

Basicamente no Rio de Janeiro, a caipirinha é preparada na coqueteleira. Talvez pelo tempo quente e astral praiano, os cariocas tenham optado por esta técnica que, em minha opinião, torna a mistura mais fraca devido à absorção mais intensa e rápida do gelo. Já em São Paulo, os bares mais tradicionais e mais renomados se utilizam da técnica de preparo no copo.

Este é o método reconhecido pela Associação Brasileira de Bartenders (fundada em 1970) e onde o drink permanece mais autêntico quanto ao seu sabor e apresentação. Quando batemos o limão na coqueteleira, por exemplo, este contato com o metal libera o amargo da fruta presente na sua casca. Logo, chego à conclusão que, de um modo ou de outro, a caipirinha (cachaça) ou caipiroska (vodka) merece nossa total atenção quanto à bebida mais famosa do Brasil.

A nossa tradicional caipirinha é feita com quatro ingredientes básicos: limão, açúcar, cachaça e gelo. Depois de praticar a de limão, podemos incrementar as próximas com misturas como as que tomei no Esch Café (SP) estes dias: uva verde, lichia e morango ou limão siciliano, tangerina e lichia. Deliciosas!

Outras dicas de misturas como estas podem ser vistas no livro: Manual prático de bar, do mestre Derivan (página 144), que podem ser encomendas pelo site
www.derivanbar.com

O mais bacana é encontrar a sua mistura preferida, ou a de um amigo, e surpreendê-lo ao chegar à sua casa e oferecer uma feita exclusivamente para ele. Escrevo aqui uma receitinha para se preparar uma gostosa caipirinha de limão em que você pode optar por vodka ou cachaça no momento de acrescentar o destilado alcoólico:

Sugestão de marcas de bebidas
Opções de vodka: Absolut ou Smirnoff.
Opções de cachaça: Seleta salinas, Saliboa salinas ou Espírito de Minas.

Ferramentas de preparo
- Copo old fashioned (de vidro baixo com forma cônica onde o aro superior maior que aro inferior), para as de limão ou
- Copo long drink (para as de frutas servidas com canudo longo)
- No caso do uso da coqueteleira, gosto muito das que são inteiramente de metal, com passador acoplado na abertura e tampa metálica.
- Pilão (amassador)
- Colher bailarina (forma longa de cabeça pequena)
- Tábua de cozinha
- Faca

Modalidade: montado (preparado e servido no próprio copo)
Categoria: long drink
Finalidade: refrescante

Ingredientes
- 1 limão verde fresco (os limões já um pouco envelhecidos trarão um amargo indesejável)
- 1 + 1/2 colher de sobremesa de açúcar ou 1 + 1/2 saquinho de adoçante em pó
- Gelo em cubos

Preparo
Numa tábua, cortar o limão ao meio, retirar o miolo branco (parte fibrosa) das duas metades obtendo quatro partes. Jogar tudo no copo e acrescentar o açúcar ou o adoçante.

Pegar um pilão (de madeira ou de plástico) e pressionar a fruta junto ao açúcar "com vontade". Sentir que o suco ficou completamente misturado ao açúcar. Aqui é onde a sua caipirinha fará a diferença. Muitos dos restaurantes e bares não se preocupam com esta fase de preparo.

Acrescentar os cubos de gelo (que podem ser quebrados ao meio caso sejam pedras muito grandes) até atingir a borda do copo. Despejar a vodka ou a cachaça até cobrir o gelo (com o tempo você saberá qual é a sua medida de teor alcoólico ideal) Pegar uma colher bailarina e mexer a mistura no próprio copo.
Pronto, agora é só beber!

Quando fazemos todo este processo, só que na coqueteleira (modalidade batida), chacoalhamos tudo (limão+açúcar+destilado+gelo) com bastante intensidade, até sentir na mão que a coqueteleira está extremamente gelada, e despejamos a mistura num copo old fashioned.

Dicas
1 – Eu uso uma técnica que não é oficial, mas que acredito ser bem pertinente: sempre preparo os primeiros drinks para os amigos, com teor alcoólico mais baixo. Ao longo do evento, deixo-os um pouco mais fortes para o paladar ir se acostumando ao drink até atingir o ideal. Claro que isso só funciona quando o amigo ou cliente irá repetir aquela mesma bebida.

2 - Dependendo da fruta, mais doce ou mais azeda, podemos usar mais ou menos açúcar.

3 - Uma particularidade herdada do meu pai é acrescentar um "espirro" de cachaça na caipiroska antes da mexida final para dar uma adoçada diferente e trazer um gosto particular ao drink.

4 - No copo, gosto também de colocar um mexedor (pode ser daqueles palitos de madeira parecido com os de picolé) para que ao tomar o drink você possa sempre estar misturando o açúcar com o limão e o gelo evitado que o mesmo fique no fundo do copo e a bebida se torne azeda e aguada.

De uma forma ou de outra, a caipirinha é a dica de hoje!
Aproveitem!


3 comentários:

Anônimo disse...

ótimas dicas. adorei o lance da "colher bailarina"!

Mefisto disse...

Caipirinha é A bebida! Não pode faltar em nenhuma festa!
Conversando com um colega barman um tempo atrás ele disse que há coqueteleiras de um certo material (não lembro qual) que não são boas porque interferem no sabor da bebida. E que as boas mesmo são de outro material. Como não consigo encontrá-lo mais... vc sabe quais são?


Abraço!

Anônimo disse...

olá mefisto
as boas coqueteleiras são de aço inox. Outro material eu desconheço....abraço Juli