segunda-feira, 30 de abril de 2018

EU RECOMENDO // 6 restaurantes em Bangkok

Ligia Kosin
Convidada especial do Gastronomix

A comida tailandesa é a minha preferida na culinária asiática e assim, quando fizemos nossa primeira viagem a Bangkok em janeiro de 2018, a gastronomia local era uma prioridade. Comemos muito bem, mas tínhamos indicações prévias (e valiosas) de restaurantes graças ao nosso amigo José Mário, que mora em Bangkok há alguns anos. Todas as dicas foram excelentes e são elas que eu repasso aqui. Não vou descrever a culinária tailandesa e nem indicar pratos, já que a maioria dos restaurantes têm cardápios imensos e muito variados.  Também não há muitas fotos porque bem... estávamos mais preocupados e concentrados em saborear os pratos ao invés de fotografá-los!

1.RUEN URAI  
Comemos no Ruen Urai (ou House of God) logo na primeira noite. O restaurante fica bem escondidinho, num das alamedas que saem da Surawong Road. Oficialmente faz parte das dependências do hotel the Rose, mas é bem mais charmoso, pois fica numa antiga e tradicional casa/pavilhão tailandesa de madeira teca. A casa, que tem mais de 100 anos e foi inteiramente restaurada, pertencia a um curandeiro de ervas medicinais durante o reinado de Rama V (final do século 19 e início do 20).

O ambiente é agradabilíssimo - e bastante apropriado para uma noite romântica. O cardápio abrange pratos tanto da culinária real tailandesa quanto da comida caseira da Tailândia. Não há como errar.
José Mário pediu cinco pratos diferentes para nós três, entre entradas, noodles e sopas, com frango e camarão. De sobremesa, fomos na sobremesa tailandesa clássica por excelência: sticky rice mango ou, traduzindo, manga (que na Tailândia é maravilhosa) acompanhada de arroz adocicado e creme de côco. [LK1] A conta para nós três foi de cerca de $ 4200 baht ou US$ 130.

Endereço: Surawong Road, Si Phraya, Bang Rak, Bangkok 10110
Telefone: 02 266 8268

2. BLUE ELEPHANT RESTAURANT
Não havia, claro, a menor hipótese de não comermos no Blue Elephant Bangkok, já tendo conhecido o de Paris. Restaurante tailandês tradicional com reputação pela autenticidade e pela excelência, o Blue Elephant oferece um amplo cardápio, onde tradição e novidades, passado e presente se misturam, há de tudo nas criações da Chef Nooror Somany-Steppe e sua filha Sandra. O preço é um pouco mais salgado do que a média, mas vale a pena, inclusive pelo ambiente.

A filial de Bangkok (há 9 Blue Elephants no mundo) fica numa magnífica mansão de estilo colonial tailandês, construída em 1903 e que já abrigou a Câmara de Comércio e foi a sede do Comando Central japonês durante a Segunda Guerra. Se estiver disposto a pagar um pouco mais, vá sem erro. O jantar para dois, com coquetel, entrada, prato principal e sobremesa (sem vinho, que na Tailândia é caro) saiu por $ 3908 baht ou US$ 125.[LK2] 

Não deixe de visitar a loja no andar térreo do restaurante, onde é possível comprar molhos, temperos, comida semipronta e simpáticas chaleiras em formato de elefante. 

Endereço: 233 South Sathorn Rd, Yan Nawa, Sathorn, Bangkok 10120
Telefone: +662 673 9353 (a partir do exterior);  02 673 9353 (a partir de Bangkok)

3. BUSSARACUM – ROYAL THAI CUISINE
Este restaurante, também situado numa antiga e tradicional casa tailandesa de madeira, é bem mais simples que os dois anteriores – o que pode enganar à primeira vista. Não espere grande sofisticação no ambiente ou nas mesas, mas o cardápio e a comida não decepcionam nem um pouco. O restaurante existe desde 1982 e é especializado em comida real tailandesa.

O atendimento é rápido e correto. A comida, deliciosa. Aqui meu marido comeu o que, segundo o cardápio, é considerado o “Number 1 of CNN’s 50 Most Delicious Food”, o Massaman Gai:[LK3]  frango/carne ou camarão em curry massaman com amendoins e batatas. Estava divino, segundo ele. Certamente pretendemos voltar. O jantar a dois, com entrada, prato principal e sobremesa saiu $2200 baht ou US$ 70.

Endereço: Sri Wiang Road, entre Si-Lom Road e Sathorn Road
Telefone: +66 2 63022216 – 8 (a partir do exterior) ou 02 630 22216 (a partir de Bangkok)
Site: www.bussaracum.com

4. JAI FAI STREET FOOD
Jai Fai é uma simpática senhora de 72 anos que comanda um boteco simplesinho na popular área de Phra Nakhon, na Cidade Velha, em Bangkok. Cozinha no wok, à frente de um fogo fortíssimo, usando óculos de proteção. Ganhou a primeira estrela Michelin para street food no mundo - da qual quer se livrar, porque seu restaurante entupiu e ela perdeu o sossego. Prepare-se para esperar para comer: o esquema de reservas não funciona mais, é por ordem de chegada mesmo. Existem pouquíssimas mesas, apenas 9 ou 10. Os pratos são bastante tradicionais, com muita influência chinesa. A omelete de caranguejo, seu prato mais popular, é divino. Ela o faz em formato de rolinho, que é pacientemente cozido camada a camada sobre o wok, segurando com uma pinça.  A sopa Wan Tan que tomei deve ter sido a melhor da minha vida. [LK4] 

Endereço: 327 Samran Rat Intersection, Phra Nakhon, Krung Thep.
O restaurante atualmente funciona apenas à noite, a partir de 17h. 
Dica: Não experimentamos, mas, duas ou três portas ao lado de Jai Fai, na mesma rua, está o também famoso Thip Samai que serve apenas um prato, o Pad Thai. Considerado o prato de rua nacional da Tailândia, consiste de macarrão com arroz seco e frito com ovos e tofu, polpa de tamarindo, molho de peixe, camarões e mais uma dezena de ingredientes. O Pad Thai do Thip Samai é classificado como o melhor da cidade. A longa fila de clientes na rua vai indicar direitinho o local[LK5] .   

*Não tivemos oportunidade de conhecer, mas José Mario também indicou – e ouvimos falar muito bem, de outras fontes, os restaurantes:

5. NAHM RESTAURANT – METROPOLITAN HOTEL
Alguns o consideram o melhor restaurante Thai da cidade.
Endereço: 27 South Sathorn Rd, Thung Maha Mek, Sathorn, Bangkok 10120
Telefone: +66 2 625 3333 (a partir do exterior); 02 625 3333 (a partir de Bangkok)

6. JIM THOMPSON’S RESTAURANT
É parte da casa/museu de Jim Thompson e serve um menu tailandês mais adaptado ao gosto ocidental. Perfeito para quem quiser almoçar após conhecer a magnífica casa do americano que, nos anos 50, revitalizou o negócio da seda na Tailândia. O complexo inteiro é formado por seis pavilhões tradicionais de madeira (com mais de dois séculos) que Thompson, também arquiteto, genialmente agregou numa construção só, adicionando elementos da arquitetura ocidental e moderna. O local é agradabilíssimo. A visita vale não só pela arquitetura, como pela decoração interna da casa: todas as peças são parte da coleção de arte e antiguidades de Jim Thompson. É possível também comprar roupas, lenços e tecidos de seda. Uma nota curiosa: a vida do empresário, por si só, valeria um filme, mesmo sem o mistério de sua morte. Jim Thompson desapareceu na Malásia, em 1967, onde havia viajado a turismo e nunca mais foi visto.

Endereço: 1 Wang Mai, Pathum Wan, Bangkok 10330
Telefone: +66 2 216 7368 (a partir do exterior); 02 216 7368 (a partir de Bangkok)

(*) Ligia Kosin é jornalista.

Nenhum comentário: