quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

CHAZEIRA // Na lista de leitura para 2018 tem... Chá!

Eloína Telho
Colunista de Chá do Gastronomix

O crescente interesse pelo chá no Brasil nos últimos anos não vem acompanhado de aumento de publicações sobre o tema, infelizmente. A maioria dos livros que encontramos ainda é em língua estrangeira, inglês e espanhol, às vezes até com alguns problemas de tradução (o uso da palavra “fermentação” quando se quer dizer “oxidação”, por exemplo, é um desvio comum!). 

No entanto, a cada dia, recebo mais e mais mensagens pedindo uma ajudinha na escolha de títulos que nos ajudem a desvendar o mundo maravilhoso dos chás. Por isso, para essa semana, separei três bons títulos literários em português, que podem ser encontrados com certa facilidade. Organizados por graus de profundidade no tema, estão aqui, agora, pra você se jogar em informações preciosas. Vamos lá?   
Iniciante: Chá: rituais e benefícios/ Christine Dattner; fotografias de Sophie Boussahba; estilização de Marie-France Michalon; tradução de Virgílio Guariglia – São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2011.

Essa versão em português de uma obra francesa é especialmente indicada para quem quer ter o primeiro contato com o chá. O livro, em capa dura, é recheado de fotos inspiradoras e tem diagramação cuidadosa. A linguagem é bem fácil e acessível e há informações históricas sobre regiões produtoras, receitas que usam o chá como ingrediente, propriedades do chá, conselhos para preparo de tipos específicos, além de endereços especiais de salões e lojas de chá pelo mundo. O coração até bate mais depressa vendo – e lendo – tanta lindeza! 
Iniciante/intermediário: O livro do chá: história, espécies e variedades, indicadores de qualidade, técnicas de preparo, chás pelo mundo, utensílios, receitas/ Linda Gaylard; [tradução Beatriz Pappone, Danielle Mendes Salles] – São Paulo: Publifolha 2016.

Também é uma versão em português de obra estrangeira. Entretanto, a adaptação da obra contou com a consultoria primorosa de Carla Saueressig, a pioneira/papisa dos chás no Brasil, que até pouco tempo possuía uma loja da TeeGschwendner – A Loja do Chá, no Shopping Iguatemi, em São Paulo.  Para mim, o melhor, mais didático e mais completo livro para quem quer ter um panorama geral dos chás, desde a produção até o preparo para a xícara perfeita. Na obra, faz-se uma diferenciação bem clara entre chás e infusões, bem como se aborda a questão histórica, de produção, plantio, colheita e terroir. Receitinhas fáceis também estão no livro, bem como uma abordagem ilustrativa de cerimônias de chá mundiais, instruções de armazenamento, preparo e degustação do nosso amado chazinho. A diagramação do livro, o conjunto entre textos, fotos e ilustrações, é um primor. Não tem quem não entenda e/ou se apaixone pelo conteúdo. Vai por mim, esse livro vai ser o seu melhor amigo na hora da pesquisa!
Avançado: Manual do Sommelier de Chá: variedades, análise sensorial e protocolo do chá/ Victoria Bisogno; Jane Pettigrew; [tradução de Renata Portenoy]. – 1ª ed. – Ciudad Autonoma de Buenos Aires: Del Nuevo Extremo, 2016.

As pesquisadoras e professoras Victoria Bisogno e Jane Pettigrew, da conhecidíssima escola “El Club Del Té”, com cursos presenciais na Argentina e Espanha, além de cursos online, prepararam, em 2016, essa versão em português. É uma obra extremamente técnica, que aborda, além de história, conceito técnico, serviço, cerimônias, etiqueta e propriedades do chá, a questão da análise sensorial, de forma aprofundada, para formação de sommelieres profissionais de chá. Esqueça ilustrações incríveis ou fotos encantadoras – o foco aqui é o texto e muito tecnicismo, tudo de primeira linha. Daí o motivo para enquadrar essa obra – importantíssima e muito bem elaborada – nas indicações para quem já está avançado na pesquisa do chá.

Tenho algumas outras obras em português, encontradas em “sebos”. No entanto, algumas já estão desatualizadas ou incompletas. Para um bom contato com a Camellia em nossa língua-mãe, creio que estas três belezuras sejam suficientes. Isso não quer dizer que, depois de lê-las, você não procure outras obras. Na verdade, eu sei que isso vai acontecer, porque esse tal de chá e toda a informação que vem dele é tipo um vício mesmo... Não é por isso que você passa aqui pela coluna no Gastronomix?

Podemos falar de literatura estrangeira também, mais à frente. Se interessar, não hesite em me escrever. Trocando ideias, a gente ensina e aprende... E faz um montão de amizades, né? Costumo dizer que chá é o meu assunto preferido, então, não me poupe, por favor!

Ah, me acompanhe também pelo Instagram ou Facebook , lá estão as imagens que ilustram na prática tudo o que falamos por aqui, feitas a partir do meu #momentomágico: @chazeira (insta) ou @eloinachazeira (face) . Nos vemos lá, pra não morrermos de saudade até a próxima quinta, certo? O “direct” funciona como canal direto comigo, de verdade... Pode falar, vou lhe ouvir (ou quase isso, né? Rs!).

Beijos e bons chazinhos! Aproveite cada linha de sua nova leitura! :)

8 comentários:

Elenir Gomes disse...

Obrigada pelas dicas! Espero ler o seu livro sobre chás....😆❤😙

Anônimo disse...

Publicações enriquecedoras sobre o tema!...
Mas suas dicas e posts são verdadeiramente a parte mais prática e charmosa de todas as teorias!! ������

Tamara

Anônimo disse...

Olá, Eloina.
Acompanho suas postagens e confesso que estou sendo influenciada por você. Fiz ontem a assinatura do Diário do Chá e tenho procurado utensílios para completar o meu "enxoval do chá", falta encontrar um termômetro bem bacana! E sempre que vejo suas postagens, dá vontade de criar um Instagram para compartilhar momentos mágicos como os postados por você e também fico de olho nas lojas das porcelanas.
Desde criança gosto de tomar um chazinho, tenho boas recordações do chá mate ou preto acompanhados por biscoitos nas tardes da minha infância.
Aproveito para fazer duas sugestões, você poderia falar um pouco a respeito da reinfusão, pois quase não ouço falar a respeito. Aliás, só uma única vez, uma vendedora da Moncloa de Curitiba me disse que eu poderia fazer uma reinfusão após algumas horas, mas não lembro detalhes e nem qual era a infusão que eu estava comprando. Como disse acima, sempre gostei de chá, mas agora, quero saber detalhes e estudar um pouco a respeito.
E se possível, você poderia indicar locais aqui em Brasília que vendem chás e infusões. Compro na Moncloa (obrigada Raquel por ter aberto a loja no Iguatemi) e na Tea Shop, mas sinto falta de mais opções. Já querendo adiantar, você sabe onde vende Dammann Frères?
Parabéns pelas postagens, elas são sempre enriquecedoras e as dicas valiosas. E suas fotos transmitem acolhimento e afeto, assim como uma bela xícara de chá.

Priscilla.

Eloína Telho disse...

Quem sabe um dia, amiga! Beijo e obrigada!

Eloína Telho disse...

Ooooooun, que fofura! Continuemos juntas nesse caminho de beleza, então! Obrigada por sua companhia, querida!

Eloína Telho disse...

Querida Priscilla, muito obrigada por seu feedback valioso. Adorei a dica para um futuro texto; tenha certeza de que será muito bem aproveitada! ;)
Em Brasília, nossas opções são limitadas mesmo. Vc acha chás a granel também na Mikami, na 413 sul. No supermercado há uma marca nova, a Xá, q tb é legal demais. No Quitinete eles vendem Basilur, marca de chás do Sri Lanka. Na internet, as opções são super boas. Dê uma olhadinha na Cha Yê (chás chineses incríveis) e no chá preto da Obaatian (produzido no Brasil). Os clubes de chá também dão uma mãozinha no quesito!
Comprei Dammann recentemente no Rhino Antiquário, em Gramado. Sei q eles vendem à distância e tem instagram. Na Casa Santa Luzia, em SP, tb costuma ter.
Se tiver qualquer outra dúvida, pode perguntar! Me acione no instagram, no face... E bora marcar um chazinho pra gente se conhecer. Um beijo e obrigada pela companhia! :)

Eloína Telho disse...

Querida Priscilla, obrigada por acompanhar, por gostar e pela dica valiosa para um próximo artigo. Tenha certeza de que será bem aproveitada!
Em Brasília, além da Moncloa e da Tea Shop, é possível encontrar chás a granel no Mikami (413 sul), no Quitinete (Basilur, do Sri Lanka) e até no Pão de Açúcar (tem uma marca nova, bem legal, a Xá). Mas quem salva a gente mesmo é a internet! Busque pela Chá Yê, que tem chás chineses incríveis, e pela Obaatian, que produz um chá preto brasileiro maravilhoso. No mais, os clubes de chá, Diário, Naplee, Caminho do Chá, costumam dar uma mãozinha para a nossa sede de novidade.
Quanto à Dammann, comprei recentemente no Rhino Antiquário de Gramado (eles têm site e insta e vendem a distância) e na Casa Santa Luzia, em SP.
Vamos marcar um chazinho pra gente se conhecer! E se tiver qq outra dúvida, não hesite em me contatar, tá bom? Beijo e super obrigada pela companhia!

Priscilla disse...

Olá, Eloína.
Agradeço a atenção e gentileza em responder minha mensagem.
Muito obrigada pelas indicações, tenha certeza que irei em busca de novidades. Já tirei um print da tela e tenho "dever de casa" para fazer no final de semana. :)
Outro dia tomei uma infusão, da Infusorina, no Civitá Cafés. Na mesma hora procurei em seu Instagram e vi que você já falou a respeito da marca. Como disse na mensagem anterior, suas postagens são referência para mim.
Falei que acompanho suas postagens, contudo não tenho nenhuma rede social, mas explico como cheguei até você...
Quando a loja Moncloa estava para abrir, uma amiga, sabendo que eu trazia sempre de Curitiba um carregamento de chás, me enviou um link do Instagram da loja de Brasília e em uma das fotos havia um comentário seu. Achei interessante o nome "chazeira", digitei no Google e desde então acompanho as suas postagens.
Achei engraçado, pois quase fiz a mesma rota que você no início do ano. Havia programado de ir para BH, Tiradentes e Ouro Preto, mas voltei de uma outra viagem doente e só fui até Araxá.
Como não tenho rede social, não tenho como lhe mandar um direct, então, deixo meu e-mail: pricoppola@hotmail.com
Espero ter a oportunidade de lhe conhecer pessoalmente e tomarmos um chazinho. Avise, por favor, quando tiver um evento.
Um beijo e parabéns pelas lindas postagens.
Priscilla.