segunda-feira, 14 de agosto de 2017

EU RECOMENDO // Piauí: conhecendo o menor litoral do Brasil

Thiago Poggio Pádua (*)
Convidado especial do Gastronomix

Se você gosta de viajar pelo Brasil, aprecia uma boa praia e está buscando alternativas aos destinos mais tradicionais do Nordeste, a costa do Piauí foi feita para você. Depois de uns dias por ali, vai voltar se perguntando por que aquele ainda é um destino turístico tão pouco conhecido no resto do nosso país. As paisagens são lindas, as praias vazias, as estradas bem cuidadas, a comida gostosa. E o tempo no inverno não poderia ser melhor: um calor de matar, com sol da aurora ao ocaso, acompanhado de uma brisa deliciosa e ininterrupta.

Uma ideia de roteiro básico, para ser feito de carro, seria uma passagem por Parnaíba, para visitar o delta daquele rio, seguida de uns dias de puro relax em Barra Grande, de preferência numa pousada em frente ao mar. E no caminho entre o litoral e a capital Teresina, ainda dá para fazer uma parada estratégica para explorar o Parque Nacional de Sete Cidades. Veja algumas dicas:

PARNAÍBA

Hospedagem
Em Parnaíba, o melhor local de hospedagem é a Casa de Santo Antônio, um hotel boutique instalado num casarão colonial remodelado, com todas as frescuras que você não esperava encontrar nessa cidade. De lambujem, está a passos da Sorveteria Araújo, um ícone da gastronomia local. São pelo menos uns 50 sabores à disposição, incluindo os tradicionais e vários outros feitos com frutos da região. Não é por acaso que a sorveteria é o restaurante número 1 no Tripadvisor de Parnaíba!

Passeio
O passeio pelo delta, a grande atração da cidade, é imperdível. Se quiser fugir dos barcos grandes e tours coletivos, há uma empresa local chamada Natur que organiza passeios particulares, em barquinhos menores só para você e seu grupo. Eles trabalham com alguns roteiros pré-estabelecidos, entre os quais destaco um que inclui uma visita a dunas de areia e a observação, ao pôr-do-sol, da revoada dos guarás, um pássaro local com uma plumagem de um vermelho vivo que mais parece tinta. É inesquecível! 
Caminhar nas dunas até onde a vista vai, e depois mergulhar nas águas do delta!

BARRA GRANDE

A cidadezinha
Barra Grande é a nova sensação do litoral do Piauí. Um povoado minúsculo, à beira mar, com ruas de areia ou terra batida, turistas ociosos de chinelo e um número crescente de pousadas, restaurantes iluminados à luz de vela e barzinhos. A bênção para quem gosta de charme urbano longe da cidade – e o pânico para os opositores da gentrificação!

Com todo aquele vento e uma faixa longuíssima de águas rasas durante a maré baixa, tornou-se um local célebre para a prática de kite-surfing, sediando, inclusive, etapa do campeonato mundial desse esporte.

Para comer, recomendo, em especial, o restaurante La Cozinha. Comida muito boa com ingredientes locais, num ambiente levemente refinado e absolutamente relaxado. Se você se importar de esperar uma meia horinha enquanto toma um drink, faça uma reserva antes de ir. Além dele, há muitas outras opções numa área de uns 4 ou 5 quarteirões, como o La Pizza e o Ora Burger. E, é claro, a sorveteria Ora Bolas! 
O onipresente kite-surfing 
Uma das três ou quatro ruas com bares e restaurantes em Barra Grande

Hospedagem
Numa praia distante 3km do centrinho de Barra Grande chamada Barrinha, há um hotel que, sem meias palavras, é esplêndido. Chama-se BobZ Boutique Resort e fica na areia da praia. São cinco sobradinhos de madeira e palha, com uma suíte em cada andar. Por fora, aquele aspecto rústico à sudeste asiático e por dentro, todo o conforto de que você não precisa: cama king-size, fios egípcios, toilletterie da L’Occitane, adega de vinhos, wi-fi, ar-condicionado, rede, varanda...

O hotel tem duas piscinas, um serviço de praia excelente, com walkie-talkie para chamar os garçons no bar. O cardápio é extenso e as comidas muito bem feitas. Não é incomum que a praia fique completamente deserta durante boa parte do dia. A água é morna e, durante maré baixa, forma-se uma piscina natural gigantesca com água batendo no quadril até uns 500 ou 600 metros mar adentro. 
Uma das piscinas do hotel, em frente à praia de Barrinha 
Um dos chalés e sua varandinha com rede e vista pro mar
A praia e sua aconchegante vastidão
Pargo assado com farofa, acompanhado
de clericot e uma vista igualmente frugal

PARQUE NACIONAL DE SETE CIDADES
No retorno para Teresina, de onde possivelmente sairá seu voo, uma ótima opção para “quebrar” a viagem de 350km é conhecer o Parque Nacional de Sete Cidades. Cada “cidade” é, na verdade, um conjunto de grandes rochas agrupadas em formações muito interessantes. Dependendo do ângulo, e da imaginação, elas se parecem com tartarugas, castelos e tantas outras formas. Há também pinturas rupestres, datando de até 10.000 anos atrás.

A paisagem em geral é linda e ainda dá para ver uns bichos silvestres como iguanas, suçuaranas e mocós, um roedor local. Ali bem pertinho, pode-se hospedar no Hotel Fazenda Sete Cidades, adjacente à entrada do Parque. É simples, mas tem piscina, uma boa cama e café da manhã. 
A pedra “casco da tartaruga” 
Do mirante avista-se o parque inteiro. Bem ao fundo, o
Morro do Gritador, em Pedro II, a 40km de distância 
Um iguana toma sol à beira de uma das nascentes do parque

INFORMAÇÕES ÚTEIS:

Hotel Casa de Santo Antônio, Parnaíba
Valor aproximado da diária para casal: R$ 350-450

Natur Turismo
Site: naturturismo.com.br
Valor do passeio em barco privado para até 5 pessoas: R$ 440

Hotel BobZ Boutique Resort, Barra Grande
Site: bobzboutiqueresort.com.br
Valor aproximado da diária para casal: R$ 600-1.000, dependendo do quarto
Valor aproximado de alguns produtos: cerveja Stella R$12; cerveja Corona R$18; jarra de clericot ou sangria R$95; petiscos R$ 40-80; prato para dois R$ 90-160; mountain bike e sup: grátis! :-)

Hotel Fazenda Sete Cidades
Não possui site. Reservas por telefone: (86) 3276.2222 ou 99932.6429
Valor aproximado da diária para casal: R$ 180
Atenção se estiver chegando pelo Norte, via Piracuruca: você tem que atravessar o parque para acessar ao Hotel. Como o parque fecha às 17h00, talvez não consiga passar!

Parque Nacional de Sete Cidades
É obrigatório contratar um guia para fazer o passeio. Se o guia couber no seu carro, o valor do passeio fica em R$ 80, por veículo. Você também pode fazer o passeio de bicicleta. Eles têm algumas para alugar, por R$ 10, mas os honorários do guia sobem para R$ 120.

Campo Maior
É a capital piauiense da carne de sol. Está a uns 80km de Teresina, no caminho para o litoral. Você não vai se arrepender de programar uma parada ali para comer, na ida ou na volta. Um bom e agradável restaurante é o Hawaii, à beira do Açude Central.

(*) Thiago Poggio Pádua é diplomata de carreira, formado em Direito. Nasceu em Goiânia, em 1979, e, já morou em Seul, em Nova Delhi e em Buenos Aires, de onde já escreveu belas colunas para o Gastronomix.

2 comentários:

Anônimo disse...

Excelente dicas!! Adorei!

B. Monica disse...

Adorei seus comentários e as dicas!