segunda-feira, 6 de julho de 2015

EU RECOMENDO // Um passeio na capital da Islândia

Roberto Louback (*)
Convidado especial do Gastronomix

A cidade de Reykjiavík é bem pequena, tem umas três ruas paralelas cheias de lojas, alguns poucos bares e restaurantes, algumas galerias de arte e that's it. Muita gente me pergunta da temperatura, mas apesar de ter ido no inverno, não fica tão negativa. Estava sempre por volta de -5 graus, mas ventava muito (principalmente mais pro interior). Pra quem não está acostumado com frio realmente acho que é complicado, mas pra quem já foi pra Europa no inverno, não é nada muito diferente. 
Harpa

A maioria dos pontos turísticos dá pra ir a pé e dá pra conhecer quase todos no mesmo dia. Um dos prédios mais legais de lá é a Harpa. Nele, tem um restaurante bem bacana chamado Kolabrautin, vale a visita. No prédio da Harpa, tem também algumas lojas, museu e acho que escritórios comerciais.

Pra ir nesse restaurante eu fiz reserva, mas nem precisava. Pelo menos, nessa época de fim de ano, estava bem vazio. Dei sorte porque cheguei no último dia do menu degustação de Natal.

Na Islândia, o natal dura 13 dias e tem uma história a ver com os deuses vikings que não lembro muito bem. Lembro que, nas casas, tinham várias velas nas janelas, mas não lembro direito da história, rs.

O menu degustação do Kolabrautin era bem sofisticado e tinha bastante coisa exótica. Abaixo tem a foto dos pratos:
Rabanete com semente de romã e queijo de cabra
Salmão "slow cooked"com uma geleia
Patê de fígado de frango com geleia de berries
Filé com cogumelos
Steak tartar de alce com uma cebola crocante
Sorvete de menta com café, salada de frutas, mousse de chocolate amargo

Não lembro bem quanto era o menu degustação, mas não era lá dos mais baratinhos. Mas a notícia boa é que do outro lado da rua, em frente a Harpa, tem uma barraquinha com o cachorro quente conhecido como o melhor cachorro quente do mundo. De fato é! Eu comi uns quatro e olha que eu nem como cachorro quente. Acho que o segredo é que eles colocam uma cebola frita embaixo da salsicha e um molho de mostarda com alguma coisa diferente em cima. Bom demaaaaaisssss.
Outro ponto turístico que vale a pena visitar é a Hallgrímskirkja. É uma igreja que fica no alto da cidade (que dá pra ir a pé da Harpa em poucos minutos) e é possível subir de elevador para ter uma vista da cidade. Se der sorte, pode conseguir ver uma apresentação de órgão como eu consegui!!!  
Por fim, o último lugar que eu visitei em Reykjiavík foi a galeria de arte da cidade. É uma galeria de arte contemporânea que tinha umas instalações beeem interessantes! Vale a visita também. O tema dessa exposição era conexões.

(*) Roberto Louback é publicitário, ama viajar e escreve o blog do Ruivo (http://www.blogdoruivo.com.br).