quarta-feira, 10 de setembro de 2014

COLHERADA // O constante desafio

Erika Klingl
Colunista e Crítica de Gastronomia do Gastronomix

Um dos maiores desafios de um restaurante é a oferta constante de produtos e serviços de um mesmo padrão. É isso que faz o cliente voltar. E é ainda mais difícil em casas que tem o menu voltado apenas para um tipo de cozinha. Um restaurante italiano, por exemplo, depende de tomates mesmo que tenha chovido demais no campo e os frutos estejam muito machucados na Ceasa. O mesmo vale para casas que servem comida japonesa, por exemplo. A solução é apostar em excelentes e confiáveis fornecedores.

Restaurantes familiares, principalmente na Europa, fogem dessa dificuldade com mudanças diárias nos menus. O chef acorda cedo e vai à feira ver qual a melhor oferta do dia. A combinação de qualidade dos ingredientes e preço resultam no cardápio oferecido e todo mundo sai ganhando.

Grandes redes, como é o caso do restaurante de carnes Pobre Juan não podem fazer isso. Os pratos estão escritos no cardápio e devem ser servidos diariamente faça chuva ou sol.
Infelizmente, não foi o que ocorreu no último fim de semana. Logo na chegada, fomos informados na ausência do Bife Pobre Juan na casa. Mas justo o prato que recebe a assinatura do restaurante? Uma pena porque esse corte de bife ancho é servido com um belo marmoreio que o deixa com sabor único.

Tudo bem, vamos ao segundo item do cardápio de carnes. Afinal, foi para isso que fomos lá. Quem sabe provar a famosa carne do gado wagyu de onde se tira o famoso bife Kobe, originário no Japão. Ah, que pena. Também não tem.

Ok. Vamos apostar em algo mais simples. Uma tira de bife ancho chamado bife pampeano. Finalmente, tivemos sucesso. Para celebrar, uma taça de um malbec da carta de vinhos.
Muito solícito e gentil, o garçom da nossa mesa vai até a adega e volta bastante tempo depois com a mãos vazias. Infelizmente, o vinho que pedimos acabou. Ok. Vamos pedir outro então.

Passada a dificuldade em conseguir pedir a comida e bebida, o que veio à mesa estava mesmo uma delícia. A banana à milanesa estava sequinha e dourada. As batatas vieram igualmente bem feitas assim como a farofa de ovos e o ponto da carne.

Mas depois de pagar a conta de R$ 400 para um casal com uma criança de seis anos, fica a impressão de que algo não vai bem. Perguntado se havia algum problema no restaurante que estava com ocupação de metade das mesas, um dos chefes do salão apenas informou que o cardápio estava em reformulação. Uma pena.  

2 comentários:

Cecília disse...

Identifico-me completamente com sua dúvida, estive lá duas semanas atrás,e houve o mesmo problema, já estava achando que o nosso caso era excepcional,mas vejo que não, foi inconveniente,nada que era a nossa preferência estava disponível a começar pela entrada.
Tentamos as empanadas argentinas,não! Depois fomos para o pata negra, sem sucesso, fomos para o carpaccio de Ojo, não, terminamos com o provolone na brasa com tomates cereja e orégano, OK !!
Prato principal, sim, continuamos insistindo!!Começamos com o bife Ancho , nada,o Kobe ,nem pensar,depois paleta de Cordeiro,nada o garçom , muito gentil, ate se esforçou, mas voltou depois de 5 minutos com a frase que mais temia “Estamos sem paleta no momento”, enfim perguntamos o que tinha disponível, então comemos costela de novilho, que está divina!!!Os acompanhamentos também não foram problemas.
Enfim, levamos em média 35 minutos, só para pedir, sendo que, sentamos com todos os pedidos em mente, até o vinho para acompanhar ( que por sinal estava na temperatura certa!!) mas resolvemos que os R$ 726.90 pago para um casal, não valeram a pena e está opção,está temporariamente descartada .
Espero ,sinceramente que algo seja feito...era um dos meus restaurantes preferidos, incluindo o de SÃO, que jamais vi algo assim acontecer !!!!

Pobre Juan disse...

Olá, Erika. Sou Alexandre Mesquita, Gerente de Qualidade da rede Pobre Juan. Seus comentários chegaram até nós e agradecemos pela sua crítica, pois ela está sendo levada em conta para nossa melhoria contínua. Esteja certa que estamos trabalhando para que situações como essas não ocorram novamente. Para nós do Pobre Juan a excelência nos pratos servidos e no atendimento são fundamentais para nossa marca e as opiniões de nossos clientes são essenciais para nosso trabalho.