terça-feira, 29 de abril de 2014

TORÓ DE PALPITE // Selfies (??) de pratos

Lumi Kihara
Colunista dE Comida do Gastronomix

Os chefs andam irritados com a moda de fotógrafos de pratos, especificamente em relação aos mais fanáticos que, no afã de compartilhar suas refeições nas redes sociais, preferem buscar o melhor ângulo a apreciar a comida na temperatura ideal.  Pior quando levam tripé, usam flash e até sobem nas cadeiras para uma visão aérea do prato, o que levou os chefs de Nova York a pedir “menos, menos”.

Na Ásia, dizem que o Iphone sempre come primeiro. No Brasil, não é diferente, o que pode ser comprovado nas redes sociais. Aliás, a recente reação pública de dois estrelados chefs franceses contra os fotógrafos amadores de pratos revela que a moda é universal, inclusive na França, apesar de os franceses atribuírem esse hábito aos turistas.
O Glles Goujon, dono do restaurante L'Auberge du vieux puits, em Fontjoncouse, no sul da França, três estrelas no Guia Michelin, reclamou que quando alguém tira uma foto de suas criações e posta a imagem nas redes sociais acaba a surpresa. É como se tivessem se apropriando um pouco de sua propriedade intelectual. “Até tuitá-las, curti-las, responder aos comentários, o prato já está frio", lamentou Alexandre Gauthier, do restaurante La Grenouillère, em Madelaine-sous-Montreil, no norte da França, uma estrela Michelin.

Constata-se pelos comentários postados nos sites noticiosos que publicaram a notícia que saiu originalmente no site 
France TV Info que a queixa dos chefs sensibilizou poucas pessoas. Predominou a reação “eu paguei, eu faço o que quero com o prato.” Para os leitores franceses, os fotógrafos amadores de pratos são sempre turistas afoitos.
Polêmica por polêmica, no site do jornal The Guardian, os leitores criticaram muito mais o título, que chamou as fotos de “food selfies”. Autorretrato de comida é estranho mesmo. Talvez tenham ampliado o significado ao associar tanto um como outro uma “experiência narcisística”, como comentou um de seus leitores: “fotografar nossa comida com smartphone é somente o começo de nossa obsessão narcisística de dividir nossa experiência gastronômica na rede social”.

Mais bem humorados foram os comentários dos leitores do site 
G1: “parecem restos do almoço do meu cachorro”, “um prato feio desse, melhor nem tirar foto nem comer”. Injustiça com os dois chefs franceses porque a foto não parece nenhuma de suas criações, tanto que nem foi identificada a autoria na legenda. Talvez a feiúra possa ser atribuída à falta de flash.

No site do Michelin a cozinha de Glles Goujon recebe entusiasmados elogios, faz-se menção a emoções gustativas incandescentes, ao terroir, criatividade, sem mencionar o restaurante “especialmente agradável” e a carta de vinhos atrativa. As fotos profissionalmente produzidas publicadas no site do restaurante L'Auberge du vieux puits são de comer com os olhos. 

Nenhum comentário: