quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

AO PÉ DO OUVIDO // Duvidosa lista de melhores do ano


Por Rosualdo Rodrigues

É uma balela essa história de lista dos melhores do ano, da década, do século, de todos os tempos… Elas sempre se apresentam como definitivas e elaboradas com objetividade, às vezes também se dizem democráticas (feitas por grupo de críticos ou por votação do público, por exemplo). Mas nada disso funciona quando se fala de música ou de arte em geral, campo essencialmente subjetivo. Listas, portanto, sempre serão incompletas, injustas, por vezes equivocadas.

Por isso mesmo, não me atrevo a escrever aqui uma lista de melhores discos do ano. Mas como esta época é propícia a balanços, vou tentar lembrar alguns discos que fizeram 2009 um ano mais feliz. Evidentemente, tem um olhar (ou ouvido, seria melhor dizer) muito pessoal. A proposta é, então, que cada um faça a sua. Depois você confere onde ela coincide com a opinião dos críticos.

Aliás, o melhor das listas é a capacidade de provocar discussão. São muitos boas, por exemplo, aquelas edições especiais da Bravo! com as 100 obras essenciais de cada segmento da arte. A Rolling Stone Brasil também lançou, dois números atrás, uma relação muito boa das 100 maiores canções brasileiras de todos os tempos. A se considerar, mas não para se levar a sério. Repito, nenhuma lista é definitiva.

Vai aqui, portanto, uma lista bem aleatória de 20 discos que, na minha opinião, fizeram 2009 um ano melhor, sem ordem de preferência:

1 ) Les chanson d’amour, trilha sonora do filme
2 ) My one and only thrill, de Melodie Gardot
3 ) Ciranda mourisca, de Alceu Valença
4 ) Vagarosa, de Céu
5 ) Hein?, de Ana Canãs
7 ) Iê-iê iê, de Arnaldo Antunes
8 ) Peixes pássaros pessoas, de Mariana Aydar
9 ) The pursuit, de Jamie Cullum
10 ) Zii e zie, de Caetano Veloso
11 ) Let it roll, coletânea de George Harrison
12 ) O tempo das palavras… Imagens, de Francis Hime
13 ) Outro sentido, de António Zambujo
14 ) All in one, Bebel Gilberto
15 ) Temperança, de Roberto Corrêa
16 ) Perto, de Olivia Byington
17 ) Pra iluminar, de Leila Pinheiro e Eduardo Gudin
18 ) Catalogue raissoneé, coletânea da banda portuguesa Clã
19 ) ...
20 ) ...

Obs 1: minha memória fica devendo os dois últimos
Obs 2: estou ouvindo muito música brasileira. Cadê o rock'n'roll?

3 comentários:

Paulo Palavra disse...

Rosu, então eu colocaria nas duas últimas posições o Estandarte, do Skank, e o Drês do Nando Reis.
Achei os dois bons discos, de bons artistas. Fica na música brasileira, mas cai um pouco no rock'n roll.
que tal?

ps: na minha lista tb entra o color me free da joss stone. acho que ela conseguiu voltar um pouco mais ao soul largado no introducing joss stone.

Rosualdo Rodrigues disse...

Oi Paulo,
Concordo com o do Skank. O do Nando Reis eu não ouvi. A Joss Stone, confesso, não consegue me comover. Mas valem as dicas. E eu acrescentaria mais duas: Onde brilhem os olhos seus, da Fernanda Takai, e Maria Alcina Confete e Serpentina (este último, aliás, fantástico).

Daniel disse...

Na falta de rock n' roll na lista, adiciono os discos abaixo, sem ordem de preferência:

Hamburg, do Arctic Monkeys
The resistence, do Muse
Music for men, do Gossip
Tonight, do Franz Ferdinand

Além desses, no quesito "bora dançar", na minha lista ainda constam o da Lady Gaga (é de 2009?), The E.N.D do Black Eyed Peas e Bulletproof, do La Roux.