domingo, 6 de setembro de 2009

ABOBRINHAS // Picolé de chuchu


Luciano MilhomemColunista de Alimentação Natural do Gastronomix

Sempre achei injusto o preconceito contra o chuchu. Bem temperado, ele tem sua graça. É, no mínimo, um prato leve. E cai bem com quase tudo: arroz, feijão, queijo, ovo e, claro, outros vegetais. Sem contar que rende um bom suflê! O mesmo vale para a vagem. Refogada vai melhor, sobretudo de mãos dadas com feijão. Misturada ao ovo, é típica comida caseira, lembra casa da avó.

Bem... Os mais chiques torcem logo o nariz. Não se imaginam pedindo ao garçom vagem refogada na manteiga (uma delícia, aliás) ou salada de beterraba com chuchu. Para esses, há opções mais sofisticadas. Viva a diversidade!

Em Vitória, a simpática capital do Espírito Santo, em vez da tradicional moqueca capixaba, experimentei um desses pratos vegetarianos que encantaria tanto um típico “pode-crer” quanto um esnobe da Nova Era. O nome diz tudo: Veggie (isto mesmo: a forma abreviada de ‘vegetariano’, em inglês). O sobrenome também é metido a besta: Stir-Fry. Colonialismo à parte, o fato é que se trata de um dos pratos mais deliciosos que provei nos últimos tempos. A descrição dele no cardápio ajuda a entender o elogio: “Salteado de legumes variados com toques orientais sobre uma base de vermicelli, servido na panelinha de bambu.” Leva pimenta, mas ela pode vir em dose moderada. É só pedir.

Quem for à capital capixaba – veja só: injustamente criticada como uma espécie de picolé de chuchu entre as cidades litorâneas brasileiras – vai encontrar esse saboroso prato no Café Tabaco (Rua Joaquim Lírio, Pátio Praia 455, Praia do Canto) por apenas R$ 21,90. Para quem não tem planos de ir a Vitória, pode tentar convencer o cozinheiro a fornecer detalhes sobre o preparo. O telefone da casa é (27) 3315 7291.

Mais uma colher de chá para os neo-vegetarianos finos de Brasília (os “macacos velhos” já são habitués do lugar): o restaurante Oca da Tribo (SCES, quadra 2, conjunto 59), além de comida saudável e deliciosa, possui decoração encantadora e muito aconchegante – lembra uma oca mesmo, ainda que seja um tanto chique.

O Setor de Clubes Sul pode ser contramão para alguns em dias úteis, mas certamente agrada em cheio em um almoço de sábado, domingo ou feriado. Tudo, absolutamente tudo, inclusive as sobremesas, é extremamente saboroso. O restaurante também serve carnes, o que me parece uma pena. O buffet vegetariano compensa tudo. Mas é o tal negócio: nem todo mundo descobriu a delícia de uma refeição exclusivamente à base de vegetais – com ou sem chuchu. Sem preconceitos.

Café Tabaco
Rua Joaquim Lírio, Pátio Praia 455
Praia do Canto – ES
Telefone: (27) 3315 7291

Oca da Tribo
SCES, quadra 2, conjunto 59
Lago Sul – Brasília
Telefone: (61) 3226 9880



(*) Luciano Milhomem é jornalista, mestre em Comunicação pela Universidade de Brasília (UnB) e não ingere carne de bípedes e quadrúpedes há dois anos e meio.

3 comentários:

Fabi disse...

Você é tão chique que consegue fazer chuchu ficar charmoso! Gosto à parte, as dicas estão anotadas! E como você mesmo disse, viva a diversidade! beijo

Izabela disse...

ah... eu sou de vitória ainda não comi no restalrante, sou vegana, e aqui tbm tem picolé de chuchu, no norte.... e creiam, é bom! bjus, adorei suas publicações

Anônimo disse...

Thanks a lot all of in your interesting and also useful remarks so far.
Significantly foods to get idea. A few sexy thoughts and opinions all around.
I cannot state that To be sure with everything that you just declare when
i didnt understand the legitamecy of this submit I'd personally end up being ignorant to your understanding.
Feel free to visit my web-site : blenderartists.org