terça-feira, 28 de abril de 2009

GASTRONOMIX // Quina do Futuro em Recife


Antiga sala da família Matsumoto virou ambiente do Quina do Futuro

Estava a trabalho na quinta-feira passada em Recife. Depois de um dia cansativo, nada melhor do que relaxar em um restaurante. Já havia feito uma seleção antes de embarcar e escolhi conhecer, com uma colega de labuta, o Quina do Futuro, pilotado pelo chef nipo-pernambucano André Saburó, 32 anos. Fiz reserva e chegamos lá em meio a um jogo do Naútico, uma verdadeira festa – principalmente, para o taxista-meio-doidão que até trocava a mulher dele por uma partida do time do coração.

O Taberna Japonesa Quina do Futuro existe desde 1986. O restaurante é a antiga casa da família Matsumoto, que chegou ao Brasil no navio América Maru em 1959. Toda a trajetória - de como o avó de André Saburó entrou no ramo de comidas, passando pela sacada do pai, Seu Shigeru, para montar um negócio até chegar à ralação que o atual chef teve de atravessar para comandar a cozinha da casa - é emocionante. O roteiro do filme está pronto e quem se interessar é só clicar aqui.


Atualmente, são servidos mais de 130 pratos nos três ambientes do restaurante. Dois deles são divididos por um aquário. O ambiente é moderno e mistura estilo mais formal com informal. O principal salão nem se parece com a antiga sala de visitas da família. Apenas os lustres ficaram no lugar. Já o espaço perto da preparação dos sushis e sashimis (foto acima) lembra os japoneses mais tradicionais. Na parte da frente do Quina, um espaço mais amplo recebe clientes também.

A casa – que faz parte da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança – tem 113 lugares. O atendimento é muito bem feito. O cliente não espera e os garçons são bastante solícitos. Não é à toa que o Quina do Futuro foi escolhido por cinco vezes (entre 2000 e 2005) o melhor restaurante japonês pelo Guia Veja Recife.

A comida é uma delícia e servida com fartura. O prato que escolhi, além de saboroso, parecia uma escultura. Come-se bem e por um preço justo. Veja na sequência:

Caipisakê frozen de tangerina (R$ 8,90)

Sushi de atum com ovas e broto de nabo
Foi servido como cortesia

Pastel de atum
Foi servido como cortesia

Ceviche Quina (R$ 16,50)
Ceviche de atum com limão e alcaparra

Robata de camarão empanado (R$ 6,50)

Teppan Yakissoba (R$ 26,40)
Macarrão japonês, legumes fatiados e carne desfiada, temperados à moda japonesa feito em chapar quente

Ebi Ebi Quina 20 anos (R$ 41,20)
Camarões salteados na manteiga adicionados de molho à base de gengibre, sakê e shoyu

No fim da refeição, o Gastronomix, a convite do chef Saburó (foto), foi conhecer de perto os bastidores do Quina. A limpeza é impressionante. Há uma central de manipulação, na qual, por meio de uma janela de vidro, é possível acompanhar o preparo dos peixes usados na cozinha. O cuidado no manuseio e a escolha dos peixes são, para Saburó, quase uma obsessão: “Meu pai me levava com seis anos em 1983 para o mercado e me ensinava quais as condições de um bom peixe”, disse o chef.

Quina do Futuro
Rua Xavier Marques, 134.
Esquina com a Rua do Futuro
Aflitos, Recife (Pernambuco)
Telefone (81) 3241 9589
Site:
http://www.quinadofuturo.com.br/

5 comentários:

Anônimo disse...

Menino... esse blog já tá viajando com passagens de deputados para fazer crítica no Recife??? Babado forte... abafa!

Rodrigo Caetano disse...

Risos... Eiiiii, de jeito nenhum.
Viagem a trabalho tem momentos de pausa, acredite. E a conta foi paga com meu dinheiro, engraçadinho.
Abs
Rodrigo Caetano

Anônimo disse...

E que pausa, hein?!
Adorei as fotos! São deliciosas, hahaha!

Daya disse...

E a previsão de abrir uma filial dessa maravilha por acá?? =)

Carolina Oliveira disse...

Pessoal, eu era a companheira de labuta. Prazer, Carolina Oliveira. Adorei conhecer a história do André. O sucesso dos dois restaurantes é um reconhecimento ao trabalho realizado por lá. Rodrigo, vc ainda tem muita coisa pra contar: o descolado Sumô, o trabalho social que o André está desenvolvendo por meio da coleta seletiva nos restaurantes. E nosso almoço no Leite? Vale um post...
Que venham novas degustações.... Gostei disso!
Beijo