quinta-feira, 6 de julho de 2017

CHAZEIRA // A saga dos seis chás – CHÁ VERDE

Eloína Telho
Colunista de Chá do Gastronomix

Poderia ser série do Netflix, mas é só (por enquanto! Rs!) a coluna semanal mais aromática deste cerradão congelado de meu Deus. É dia de estreia do glorioso chá verde no Gastronomix!
Mais encorpado e intenso que o branco, elaborado a partir de folhas e brotos da nossa amada Camellia, é o queridinho da moçada fitness, por suas propriedades termogênicas. De fato, tem mais teína que o branco (nosso assunto da semana passada, lembra?). Historicamente, foi a primeira variedade desenvolvida e hoje é produzido principalmente na China e no Japão, de modos diferentes, mas deliciosos.

É um chazinho tão versátil, mas tão versátil, que tem um montão de subtipos (dizem que mais de duzentas, sério!). Para se ter uma ideia, Gunpowder é um chá verde de folhas enroladinhas, bem adstringente; Sencha é um chá verde de folhas quebradinhas, com notas de algas e grama; o Matcha, que vai da cerimônia do chá japonesa às revistas de beleza e vida saudável, é também chá verde, cultivado em sombra e moído em moinhos de granito (e um dia falaremos só do matcha, que envolve histórias bem lindas, que precisam ser replicadas. Tudo a seu tempo, despacito...). 
Matcha antes – só o pozinho!

Matcha depois!

Tem quem reclame do amargor do chá... Mas isso nem é verdade. Na real, o chá verde exige um pouquinho mais de nossa atenção; requer que tempo e temperatura sejam observados cuidadosamente. Se usarmos água em temperatura muito alta (60 a 80oC no máximo, a depender da variedade) ou deixarmos as folhinhas tempo demais em infusão (dois minutinhos, em média), elas se magoam e reclamam... Daí vem o tal "amargor": são lágrimas do chá, pela ausência sentida, só isso. Trate seu chazinho com o olhar que ele merece e tudo dará certo, pode confiar!

Também serve de base para blends incríveis e admirados pelo mundo todo. No Marrocos, por exemplo, serve-se como bebida típica uma mistura maravilhosa, de chá verde e menta, que, por si, faz valer a viagem. No Brasil, adoramos misturá-lo a frutas cítricas, que parecem o par perfeito para o nosso paladar.

Agora é sua vez de me dizer: já teve uma experiência com o chá verde? Como foi? Que tal provar agora, com tempo e temperatura mais adequados? Tente fazer sua infusão a 70oC, por dois minutos e me conte se, de fato, ficou melhor... Tô esperando sua história de amor e dedicação ao nosso menino da semana, tá?

Ah, se quiser me acompanhar pelo Instagram ou Facebook , costumo postar umas imagens que ilustram na prática tudo o que falamos por aqui, feitas a partir do meu #momentomágico: @chazeira (insta) ou @eloinachazeira (face) . Te espero lá, pra não morrermos de saudade até a próxima quinta, certo? :)

Beijos e bons chazinhos! 

8 comentários:

Elenir Gomes disse...

Surpresa com tanta informação maravilhosa sobre o chá verde...!!! ❤❤👏👏👏👏

Eloína Telho disse...

E só vai melhorando, amiga! Beijo! 💚

Caroline Menezes disse...

Lindo texto! Muito coisa pra aprender mas amando desbravar esse universo dos chás!!

Ana Cecília Tolcci disse...

Confesso que não gostei do chá verde por conta do amargo que senti.
Já aprendi o que fiz de errado!
Mais um aprendizado!!
Perfeito, Eloína!!

Ana Flávia disse...

Que lindo.... por mais momentos com seus chás e com a sua consciência.... que o chá nos liberte da correria... do amargo... e do desânimo.... chá para todos.

Eloína Telho disse...

Quero saber de todas as experiências! Beijo! 💚

Eloína Telho disse...

Me conta quando tomar um chá verde feito com carinho! Ou toma comigo, né? Beijo! 💚

Eloína Telho disse...

Lindo é chegar aqui e me deparar com uma mensagem tão linda! Que a gente descubra um mundo novo e lindo com o chá! Beijo! 💚